Festa da Escravidão de Donata é destaque até no NY Post

Italiano de seu nascimento em 1975, Lucio Salvatore tem carreira brasileira, vivendo no Rio de Janeiro. Ele se expressa através de fotografia, texto, pintura, escultura, performance. Suas obras estão em nobres espaços: o MAM Rio de Janeiro, o MAC Niterói, e o Museu dos Correios. Formado em economia e filosofia em Milão, e em Artes Visuais, no Parque Lage, sua arte refinada evidencia os múltiplos interesses. Como visto na mostra Metaelementi, ano passado, no MAM- RJ; na individual Controvalori, também em 2018, na Martha Pagy Gallery, RJ; nas expos Parque Lage, no Palazzo Pamphili, em Roma; Arte Capital e Fragmento, ambas no Centro Cultural Correios, RJ.

Macaque in the trees
LINEE permanece em cartaz até 16 de março (Foto: Divulgação)

Salvatore retorna ao espaço de Martha Pagy com a mostra LINEE. Os nomes que prestigiaram sua abertura (fotos) endossam o bom conceito de que desfruta o artista, em apenas quatro anos de exposições individuais no Brasil. LINEE revela o artista na origem, com 20 obras desenvolvidas a partir de 2013, tinta óleo sobre mármore, expostas pela primeira vez. Trabalho conceitual, que se situa "entre uma estética arqueológica e uma arqueologia estética", conforme diz Lucio em sua apresentação do trabalho. Vocês sabem, as artes plásticas conjugam idioma próprio, tecendo expressões enigmáticas, dignas das abstrações de um Pollock. Para seu entendimento e também de sua obra, precisamos nos jogar ao vento da intuição e das sensações. Puro feeling. É quando nos permitimos embarcar num mundo indefinido de formas, cores, conceitos, volumes, ruídos e materiais, que nos despertam o estado de encantamento. A arte de Salvatore magnetiza pela aparente simplicidade e a complexidade da proposta.

LINEE permanece em cartaz até 16 de março, com agendamento através do e-mail [email protected] ou no telefone 55 21 981413234.

__________

DONATA NO NY POST - A "festa da escravidão" de Donata Meirelles foi manchete ontem do New York Post, com a repercussão negativa do evento no Brasil, e comparando a foto de Donata, sentada, ladeada por duas baianas negras, de pé, com o passado em que "o escravo era objeto de luxo a ser exibido". Após a demissão de Donata, a Vogue Brasil lamentou "profundamente, esperando que o debate gerado sirva de aprendizado".

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais