Dores de Brumadinho

A tragédia de Brumadinho empana qualquer tentativa de fazer, por exemplo, uma cobertura social nesta página de domingo. Neste espaço estariam as fotos alegres do vernissage de Daniela Antonelli na Galeria Mul.ti.plo. Mas eis que, observando os trabalhos dessa artista, encontrei este, abaixo: a representação de uma capela singela de cidade do interior coberta por pigmentos naturais terrosos. A imagem imediatamente me transportou à Igrejinha Matriz de Nossa Senhora das Dores, em Brumadinho, cujo campo de futebol está sendo utilizado para pouso dos helicópteros de salvamento. Esse quadro inspira as Dores de Nossa Senhora cobertas pela lama de uma sucessão de equívocos e desacertos, que resultam em tamanho desprezo pela vida humana.

Macaque in the trees
Representação de uma capela singela de cidade do interior coberta por pigmentos naturais terrosos (Foto: Divulgação)

Macaque in the trees
Igrejinha Matriz de Nossa Senhora das Dores, em Brumadinho (Foto: Divulgação)

JEAN WYLLYS

“Vamos sequestrar a sua mãe, estupra-la e vamos desmembrá-la em vários pedaços que vamos te enviar pelo Correio pelos próximos meses. Matar você seria um presente, você aliviaria a sua existência tão medíocre. Por isso vamos pegar sua mãe, aí você vai sofrer”. Quem suportaria meses seguidos de ameaças com esse tipo de teor, como foram? Acho até que Jean Wyllys aguentou tempo demais. Vejo seu gesto, não como sintoma de medo, mas de coragem. É caso único em nossa história republicana de parlamentar eleito que abre mão de seu mandato, desfraldando ao mundo a realidade de opressão do crime sobre os cidadãos de nosso país. Evidencia como estamos indefesos ante um poder dominante chamado “milícias”. O insolúvel caso Marielle/Anderson é emblemático disso. Deputado brilhante, entre os melhores avaliados em seus dois mandatos, defensor de causas justas e necessárias, valente e articulado, sua renúncia ao Brasil evidencia o fracasso do Estado e a vitória da escória.

MENOS, GENTE, MENOS

Ontem, atendendo a chamado direto dos cubanos-americanos da Flórida feito em todo o mundo, visando tumultuar o novo referendo de Cuba de 24 de fevereiro, um grupo minúsculo do MBL foi se manifestar diante do consulado de São Paulo. Acontece que, quando chegaram lá, havia um outro ato: de apoiadores de Cuba e dos médicos cubanos. E não teve nem conversa: os emebeletes foram postos pra correr. De confronto em confronto o Brasil vai de mal a pior. A quem interessa convocar provocações, que só desestabilizam e dividem o país?

VIVA LILY!

Renata Fraga, Ruth Szapiro, Léa Nigri, Katia Spolavori, Maninha Barbosa, Inez Costa e Silva, Paula Paes, Monica Farias, Marininha Felfeli, Gilse Campos, Susana Armburst, Alessandra Amaral, Maria Anisia Bonaparte, entre muitas outras mais confirmam a presença no almoço de aniversário de adesão, em torno de Liliana Rodriguez, na quarta-feira, às 13h, na Casa Camolese, no Jockey Club.

PROTOCOLO

Raquel Dodge disse em coletiva em Minas que “o Brasil tem que ter um sistema de risco baseado em protocolo científico internacional confiável”. Contrariamente ao que a doutora afirmou, o sistema de risco contra barragens do país é altamente confiável, uma lei elaborada com o auxílio dos notáveis da especialidade do país, e a exemplo do que há no mundo. O que gera desconfiança é seu cumprimento pelas empresas envolvidas.

AO REDOR

Quem está chegando da Itália é o Dino Trapetti. Giovanna Deodato coordena sua agenda carioca. Ele quer ver poucas pessoas, entre elas Beth Winston, que deverá fazer pequena reunião em casa em seu redor.

Macaque in the trees
Julia Nogueira, a linda cantora colombina, vestida por Beth Serpa em "Amor de carnaval" (Foto: Divulgação)

LUNCH TIME

O programa da hora de chá das senhoras, nessa temporada de pré-carnaval, está definido: o show “Amor de carnaval”, na Casa Julieta de Serpa, com enredo romântico bem-humorado, excelentes cantores, marchinhas de carnaval de todas as décadas e os figurinos deslumbrantes de Beth Serpa, como a colombina pink de Julia Nogueira, aqui à esquerda.

FÃ DE CARTEIRINHA

O poeta pop Jorge Salomão foi o primeiro da fila, na Biblioteca Parque Centro, quinta-feira, primeiro dia de entrega das novas carteirinhas, que dão direito a tomar emprestados livros em qualquer Biblioteca Parque: do Centro, de Manguinhos e Rocinha. Salomão é fã: “De todas as Bibliotecas, que conheço no mundo, essa, sem sombra de dúvidas, é a mais completa e agradável”, disse para a coluna. Oba, vou buscar minha carteirinha!

Macaque in the trees
Jorge Salomão, entre as prateleiras da Biblioteca Parque da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)

FERVO BAIANO

A Bahia ferve com a proximidade dos festejos de 2 de fevereiro, dia de Yemanjá. Regina Rique já desembarcou em Salvador para celebrar. Enquanto Lúcia Guanabara preferiu ir pra Caraívas, point baiano da moda pós-Trancoso, com as praias mais lindas e desertas e as águas mais límpidas.

__________

FORTE AROMA. A presença pouco usual, ontem, em Brumadinho, da Procuradora Geral da República, Raquel Dodge, dando declarações e entrevistas, no local do rompimento da barragem, deixou no ar um aroma de pretensões políticas...

__________

Com João Francisco Werneck



Representação de uma capela singela de cidade do interior coberta por pigmentos naturais terrosos
Jorge Salomão, entre as prateleiras da Biblioteca Parque da Secretaria de Cultura do Estado do Rio de Janeiro
Julia Nogueira, a linda cantora colombina, vestida por Beth Serpa em "Amor de carnaval"
Igrejinha Matriz de Nossa Senhora das Dores, em Brumadinho