Jornal do Brasil

Hildegard Angel

Explicando o inexplicável

Jornal do Brasil

ESSA FORTE adesão dos setores militares, dos recrutas aos generais cinco estrelas, brigadeiros e almirantes, em apoio ao Capitão presidenciável, que cumpriu a carreira no Exército sem qualquer brilho - para ser elogiosa - talvez tenha sua origem nos bancos escolares. ... NO ANO SEGUINTE ao golpe, 1965, foi impressa uma nova cartilha de História do Brasil, para o ensino nas escolas militares, que instruiu cinco gerações de militares, e até hoje vigora... SEU CONTEÚDO ensina que não houve golpe em 64, houve uma “revolução” para eliminar a “ameaça vermelha” do comunismo, e houve “uma guerra”, em que os militares precisaram praticar a repressão em nome da ordem pública... TAL VERSÃO se tornou obsoleta com a redemocratização e a farta informação colhida através de várias comissões criadas para apurar aqueles fatos, de documentos encontrados, das indiscrições do Wikileaks e também da farta documentação norte-americana, com relatos de diplomatas, vídeos e correspondências oficiais, que classificam como “terrorismo de Estado” a repressão então praticada pelo governo brasileiro... UMA ÉPOCA em que a propaganda e a mídia nos impunham a ideia que “terroristas” eram, não quem perseguia, mas os perseguidos, obrigados à clandestinidade, capturados e, condenados sem julgamento, torturados e muitas vezes mortos... ESSA VERSÃO oficial conveniente, porém, fantasiosa, ainda prevalece em grande parcela das Forças Armadas. Imagino que os mais velhos insistam nela por corporativismo, e os mais jovens não ousem contestar os superiores mais antigos. Isso, agravado pela Lei da Anistia, que aos “dois lados” perdoou da mesma forma, contribuindo para perpetuar uma “verdade” distorcida... QUEM QUISER se informar sobre o que foram os 20 anos de Estado de Exceção, há uma farta literatura a respeito. Nos sites, sugiro o link https://theintercept.com/2018/09/22/na-ditadura-tudo-era-melhor-entenda-a-maior-fake-news-da-historia-do-brasil/.

---------

O FANTÁSTICO MUNDO DE MICHEL

E o ex-vice decorativo, catapultado à presidência do Brasil, Michel Temer, teve seu momento de glória esta semana. Mordendo muito os lábios, como é de hábito, discursou na abertura da 73ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, contando maravilhas de um país que seria muito bom se fosse o nosso, mas é difícil crer que nosso presidente falava mesmo do Brasil. “Ao desafio da intolerância, o Brasil tem respondido de forma decidida: com diálogo e solidariedade”, afirmou. A frase seguinte foi ainda mais desconexa da nossa realidade: “O Brasil tem recebido todos os que chegam a nosso território. São dezenas de milhares de venezuelanos a quem procuramos dar toda a assistência”. Fato é que, no último dia 20, a governadora do estado Roraima, Suely Campos, pediu o fechamento das fronteiras do estado para venezuelanos. Outra fala duvidosa: “Têm sido intensos nossos esforços de redução do desmatamento”. Segundo dados do Instituto de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento na Mata Atlântica cresceu 57,7% no período entre 2015 e 2016. Por fim, Temer exagerou na louvação ao próprio governo, e insistiu na retórica de que a crise foi vencida: “Vencemos a pior recessão de nossa História”, “voltamos a crescer e a gerar empregos”, “devolvemos o Brasil ao trilho do desenvolvimento”. Deve ser por essas coisas boas todas que Geraldo Alckmin morre de medo de ter seu nome associado à gestão Temer.

TOFFOLI DISPOSTO

O novo presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, chegou com fôlego. Ele assina duas leis nesta semana. A primeira modifica o prazo de licença paternidade para militares. Já a segunda inscreve o nome do ex-governador de Pernambuco, Miguel Arraes, no Livro dos Heróis e das Heroínas da Pátria. Outra “promessa” do ministro é a recondução de Henrique Ávila para o Conselho Nacional de Justiça.

CIRO INSPIRADO

Pode-se dizer muita coisa de Ciro Gomes, mas não se pode negar que é um inspirado para colocar alcunhas. Ontem, chamou o #EleNão de “coisa ruim”.

SALVEM BROCOIÓ!

Os vereadores cariocas Renato Cinco e Tarcísio Motta unem esforços para salvar a Ilha de Brocoió, em Paquetá. A dupla apresentou ontem projeto de lei para transformar a Ilha em ARIE, isto é: Área de Relevante Interesse Ecológico. Há lá manguezais intocados, além de seu entorno marinho abrigar espécies ameaçadas de extinção, como o boto-cinza. Acreditam os parlamentares que isso justifica a ARIE, cujo objetivo é manter ecossistemas naturais e regular o uso admissível dessas áreas. Brocoió era uma residência de verão dos governantes do Rio, mas sem uso, até que o Governador Leonel Brizola tomou-se de amores por ela e passou a frequentá-la. O Palácio de Brocoió é mais um presente de bom gosto da Família Guinle ao patrimônio do Rio de Janeiro. Por encomenda dela foi erguido em estilo normando, com projeto do arquiteto francês Joseph Gire, o mesmo do projeto do Copacabana Palace.

MICHAEL VERSACE

O mundo da moda dá mais uma volta. Em um acordo fechado por cerca de US $ 2,2 bilhões, o grupo norte-americano Michael Kors acaba de comprar a Versace, passando a ser dono de todas as ações da marca italiana. Reza o acordo que o CEO da Versace, Jonathan Akeroyd, permanecerá no comando da empresa, enquanto Donatella Versace continuará a liderar a visão criativa das peças da marca.

Michael Kors planeja aumentar as vendas globais da Versace para US $ 2 bilhões, aumentar sua área de atuação no varejo de 200 para 300 lojas e acelerar sua estratégia de comércio eletrônico. Ele também planeja elevar a participação de acessórios e calçados, de 35%, para 60% das vendas.

Dono das mais vendidas bolsas de couro do mercado americano, o Grupo Michael Kors prossegue em sua saga ambiciosa para aumentar seu portfólio de marcas de alta qualidade. No ano passado, ele comprou o inglês Jimmy Choo, dos sapatos de salto-agulha, por US $ 1,2 bilhão.

DEVOTO JORDÃO

O prefeito de Angra dos Reis, Fernando Jordão, é um eleitor ecumênico, acende vela para todos. Sua mulher, Célia Jordão, concorre a deputada estadual pelo partido de Garotinho. Mas na segunda-feira foi com Romário que Jordão ciceroneou pela cidade, levou ao cais, à prefeitura, na rua do Comércio, um tour completo pedindo votos. Ontem, repetiu o mesmo circuito, porém acompanhado de Eduardo Paes. Mais uma vez pedindo votos pro visitante. Parece que o povo não gostou, porque quando Jordão foi discursar na grande reunião do Clube Comercial lotado, até com Cesar Maia lá, ele foi tremendamente vaiado. A vaia só piorou quando ele resolveu pedir votos de presidente paraBolsonaro. Aí o salão veio abaixo, com gritos de “fora!”, “fora!”...

RICUPERO NO TRIANON

Com solenidade no Salão Nobre do Petit Trianon, a Academia Brasileira de Letras entrega na próxima terça-feira, 2 de outubro, o Prêmio Senador José Ermírio de Moraes de 2018 ao ex-ministro da Fazenda de Itamar Franco, Rubens Ricupero, aquele que lançou o Plano Real em 1994. Diplomata de carreira, o embaixador Rubens Ricupero foi também assessor internacional dos presidentes Tancredo Neves (1984-1985) e José Sarney (1985-1987) e chefiou a embaixada do Brasil nos EUA, de 1991 a 1993. O imortal Alberto Venancio Filho fará a leitura do parecer que decidiu a escolha de Rubens Ricupero, seguido da entrega do prêmio ao vencedor pelo o representante do Grupo Votorantim, José Pastore, que irá discursar sobre a obra de Ricupero.

O Prêmio Senador José Ermírio de Moraes foi instituído pela família do senador, dona do conglomerado Votorantim e umas das mais ricas do país, com patrimônio líquido combinado de US$ 15,4 bilhões.

REDUTO RUBRO-NEGRO

Hoje tem promoção de chopp duplo no Eclipse, em Copacabana, para quem quiser acompanhar a exibição do jogo entre Flamengo e Corinthians, válido pela semifinal da ‘Copa do Brasil’.

ORIGENS JUDAICAS

Neste domingo, 30, o Grande Templo Israelita, na Praça XI, promove visita teatralizada ao seu interior, com muita música e aulas de história. Os atores Júlia Drummond, Diana Vaisman, Nano Max e Gabriel Hipollyto interpretam canções da tradição judaica e contam detalhes da história da região que já foi habitada tanto por imigrantes quanto por negros, muitos ex-escravos, até ser desocupada à força para a construção da Avenida Presidente Vargas, projeto de Getúlio Vargas. Havia lá duas sinagogas: Beith Yaakov e a Beth Israel, derrubadas junto com outros cerca de mil imóveis, entre eles o ateliê de Mestre Valentim e quatro igrejas seculares, uma delas a de São Pedro dos Clérigos em estilo barroco, bem no meio do traçado da atual avenida.

----------

Macaque in the trees
GUARDA-CHUVA DO AMOR: 2018 é um ano para não ser esquecido pela British Commonwealth. Depois de um príncipe da casa real de Windsor levar ao altar uma mulher de origem negra, a deslumbrante Meghan Markle, eis que é celebrado o primeiro casamento gay por integrante da família real britânica. Casaram-se, no sábado, lord Ivar Mountbatten, primo da Rainha Elizabeth II, com James Coyle. Mountbatten foi levado ao altar por sua ex-esposa e mãe de suas três filhas, Penny, que desde o início demonstrou apoio à união. O casal se divorciou em 2010 e, seis anos depois, ele assumiu ser homossexual. Usando maquiagem, James casou-se com paletó de smoking de veludo azul marinho, com calças quadriculadas; Mountbatten vestiu smoking de veludo verde fechado com alamares. No Instagram, o próprio Mountbatten publicou uma série de fotos da cerimônia, realizada em uma capela privada apenas para família e amigos do casal. Ele completou a "reportagem" com agradecimentos na legenda: "Bom, nós finalmente fizemos isso! Foi um dia incrível, apesar do miserável clima britânico. [...] Mais importante: um obrigado imenso às minhas três meninas maravilhosas por serem tão compreensivas e darem seu apoio. Sem o suporte delas, isso nunca teria acontecido! Por fim, o maior obrigado a você, James, por ser apenas perfeito" (Foto: Reprodução Instagram)

----------

INVASÃO VIKING. Vem por aí o II Valhöll, o Festival Viking carioca, dias 13 e 14 de outubro, no Parque Outeiro da Glória. São esperadas duas mil pessoas para consumir comidas típicas, cervejas artesanais e participar do festival de hidromel. Haverá ainda danças típicas e encenações de batalhas com o grupo Corvos das Sombras.

-----------

Com João Francisco Werneck



Recomendadas para você