O passo a passo da salvação

Rola a bola e, no início, estão rebaixados Paraná, Vitória, Sport e América-MG. Mas Vasco e Fluminense estão seriamente ameaçados. Sofrimento à vista para duas grandes torcidas cariocas.

No Maracanã, precisando da vitória, é o América quem parte para o ataque. O Flu só se defende. O 0 a 0 o garante na primeira divisão. No Castelão, quem começa na ofensiva é o Ceará, que já escapou, mas sonha com uma vaga na Sul-Americana. O Vasco, cauteloso, toca a bola. O empate, dependendo dos outros resultados, pode significar a salvação cruzmaltina.

Jogos nervosos pelo país inteiro. No Castelão, após um lance duvidoso na área vascaína (o Ceará pede pênalti de Caio Monteiro sobre Samuel Xavier), o Vasco ataca e Maxi López manda a bola para o fundo da rede. Mas estava impedido. Pinta a primeira bolinha na tela. Não é em nenhum dos jogos envolvendo a turma que luta contra o rebaixamento. É gol do Grêmio sobre o Corinthians. Gol importante que vai garantindo a vaga direta na Libertadores.

No Maracanã, o Fluminense começa a se aventurar no ataque. Kayke e Luciano arriscam conclusões, mas não chegam a ameaçar o gol de João Ricardo. Aos 17 minutos, porém, quem conclui é o América, com Marquinhos, obrigando Júlio César a fazer a defesa.

Vinte minutos de bola rolando, nenhum dos envolvidos na tentativa de evitar o rebaixamento fez ou sofreu gol. Aos 24 minutos, pênalti para o América Mineiro, no Maracanã! Aumenta o drama tricolor. Luan bate e Júlio César defende. Explosão da aliviada torcida do Flu, que voltaria a sofrer outro enorme susto, pouco depois, quando Gum salvou, em cima da linha, uma bola desviada por Igor Julião. Um sufoco e tanto.

Já no finalzinho dos primeiros tempos, pinta novamente a bolinha na tela. Gol do Palmeiras sobre o já rebaixado Vitória. Não muda nada. Ato contínuo, o Fluminense, que penava no Rio, enfim, quebra o seu longo jejum de oito jogos sem marcar e abre o placar, com Richard, de cabeça. O resultado é ótimo também para o Vasco que, mesmo se perder, não poderá mais ser ultrapassado pelos mineiros.

Intervalo das partidas. Ninguém que começou a rodada no Z-4 saiu dele e ninguém que estava fora entrou. Mas ainda faltam 45 minutos. A situação dos cariocas, porém, melhorou bastante graças à vitória parcial do Flu. Mesmo que venha a ser derrotado, o Vasco só cairá se perder e Chapecoense e Sport vencerem – e ambos estão empatando, respectivamente, com o São Paulo e o Santos. E o tricolor pode até ceder o empate no Maracanã que permanecerá na elite.

Vão recomeçar os segundos tempos. O Ceará faz uma substituição e coloca em campo Éder Luís, ex-jogador importante do Vasco. Olha o perigo da “lei do ex” aí. E vamos para os derradeiros e dramáticos 45 minutos.

No vergonhoso pasto do Maracanã, o Flu volta com moral, buscando o segundo gol. No Castelão, o Vasco recomeça sofrendo. Por causa da vitória parcial do tricolor, o Ceará quer a vitória, para alcançar a Sul-Americana.

Bolinha na tela. Mais um gol do Palmeiras. Só interessa à torcida do campeão. Da Ilha do Retiro, vem notícias de que Sport e Santos fazem uma pelada medonha, e na Arena Condá a situação não é diferente, entre Chape e São Paulo. A sorte vai sorrindo para Fluminense e Vasco.

Nova bolinha na tela. Gol do Inter, contra o Paraná. Não muda nem as posições dos envolvidos na partida – terceiro colocado e lanterna. Mais uma bolinha. Outro gol do Palmeiras. E depois um do Vitória. Falta meia hora para acabar o drama de Vasco e Fluminense.

No Maracanã, o Flu segue no ataque. É dono do jogo. Só um desastre voltará a colocá-lo em risco. Outra bolinha. Esta surpreendente. O já rebaixado Vitória empata com o campeão Palmeiras, na festa do título.

Nova bolinha e essa é quente. A Chapecoense abre o placar contra o São Paulo. Resultado que, se confirmado, a coloca a salvo. A situação do Vasco começa a ficar mais perigosa. Um gol do Sport, contra o Santos, vai colocar o Gigante da Colina em risco. Mas o empate ainda garante os vascaínos. Só não pode perder, caso os pernambucanos vençam.

O time de Alberto Valentim parece pressentir a ameaça e busca a vitória. Quase marca com Marrony, mas o goleiro Éverson faz grande defesa. No Maracanã, Gum se contunde e tem que ser substituído. A situação, contudo, parece sob controle.

Aos 34 minutos, no Castelão, o goleiro Fernando Miguel, do Vasco, é obrigado a fazer grande defesa. Os jogos vão chegando ao final e os tricolores, vencendo, já começam a respirar aliviados. Bolinha na tela, gol do Palmeiras, fazendo 3 a 2 no Vitória. Não muda nada.

A essa altura, o Vasco começa a tocar a bola, para garantir o 0 a 0 salvador. Mas uma nova bolinha na tela incendeia de vez a situação. É gol do Sport contra o Santos! Agora, um gol do Ceará rebaixa o time de São Januário! A luta passa a ser contra o relógio.

O Ceará pressiona. O tempo regulamentar acabou. Mais três de acréscimos, puro drama. O empate vai salvando o time da colina. Enfim, termina no Castelão, evitando o rebaixamento dos cruzmaltinos. A partida do Maracanã acaba pouco depois, confirmando a vitória tricolor. Após 90 minutos de sofrimento, caem exatamente os quatro que estavam no Z-4, no início da rodada: Paraná, Vitória, América-MG e Sport.

Torcidas do Vasco e do Flu respiram aliviadas. Jogadores dos dois times comemoram em campo, como se tivessem conquistado um título. Na verdade, entretanto, não há motivo algum para festa. Escapar do rebaixamento na última rodada é vergonhoso para gigantes que já ganharam vários títulos brasileiros.

Que em 2019 possa ser bem diferente.