Definição de Dilma 

A presidente Dilma vai se definir nestas próximas semanas sobre a condução política de seu mandato daqui para a frente. Por ora, pensa como e quando agir. E o fará com informações de que a situação econômica não lhe dará muito espaço para suportar  desgastes políticos e, em especial, com a opinião pública. Aqui nem pensar em controlar a imprensa como  tenta sua colega argentina . E ela mesma já descartou esta hipótese.

Nessa conjuntura mundial, é possivel até governar sem maioria no Congresso, jogando a culpa de providências e projetos barrados na conta dos parlamentares que querem barganhar, indiferentes à gravidade da crise. O que não é mais possível é governar contra a opinião pública, ignorar as emoções populares justificadas e justificaveis.

A presidente vai bem. Está sem mídia, continua popular, uma vez que, no Brasil, o índice de leitura de jornais é baixo, mas infiltra e, com algumas semanas, chega a todas as camadas da população. E tem o rádio e a televisão. A questão ética e moral está na ordem do dia das classes médias, que formam opinião. E o caso Fernando Pimentel pode não ser esquecido como sonha o Planalto. No mais, o ministro errou ao partir para o deboche em suas respostas aos jornalistas. Faz lembar o “nada a declarar” do então ministro Armando Falcão, no governo Geisel, que a atual administração não parece querer imitar.

Duas perdas atingiram o governo em seus melhores quadros: Antonio Palocci e agora Fernando Pimental. Homens preparados e competentes, mas que “pisaram na bola”. Um saiu e o outro, se ficar, será em situação de desgaste e sem poder ir a atos públicos. A imprensa tem o dever de o indagar sobre operações de objetivo fiscal tão mal explicadas sob o ponto de vista moral e ético. Uma pena, mas uma realidade. Um caso bem diferente dos demais, que eram figuras menores, fora do círculo do poder, do PT e sem credibilidade. Estes dois são casos em que as forças mais responsáveis da sociedade lamentam. Mas aconteceu e, fora do afastamento, a presidente sofrerá muitas cobranças. As pesquisas mostram que ela e Lula estão acima do PT e, portanto, devem estar acima do bem e do mal. Mas o quadro é dinâmico, não é permitido abusar .

Homem preparado, o ministro Fernando Pimentel pode inclusive  cumprir por algum tempo uma missão no exterior  representando o Brasil em organismos internacionais como Unesco em Paris, FAO em Roma, OIT em Genebra .

A sociedade cobra, e se Lula perdeu  em credibilidade nas classes médias, deve muito à estranha proteção ao senhor Valdomiro Diniz, que foi filmado, gravado e acusado e até hoje  não deu uma explicação e circula em Brasilia  como um cidadão acima de qualquer suspeita. E sem explicar do que vive. Repetir este tipo de comportamento agora já não parece mais possível .

Negrão de Lima já dizia que na política não se compra  nem se vende nada, e, atualizando o sentido de prudência da frase, não se dá consultoria  oral ou de difícil explicação. Aliás, no governo FHC, aconteceu caso semelhante com um ministro que, tão logo deixou o cargo,  andou  emitindo notas frias para morar bem  à beira-mar . E ficou tudo por isso mesmo!

* Aristóteles Drummond é jornalista. -  [email protected]