Partidos aliados articulam rebelião no Congresso 

Partidos aliados articulam rebelião no Congresso

Líderes de partidos da base de apoio a presidenta Dilma Rousseff articulam uma rebelião que pode surpreender o governo numa próxima votação importante, como a criação do fundo de pensão dos servidores públicos, considerado vital para ajustar as contas da Previdência. Os partidos aliados acusam o PT paulista, que já controla os 11 ministérios mais ambicionados, de “aparelhar” até o segundo e terceiro escalões.

Bye, bye, Haddad

O PR mostra suas garras, anunciando o deputado Tiririca na disputa pela prefeitura de São Paulo. Só para embaralhar o xadrez petista.

Líderes da revolta

PMDB, PTB, PDT e PR estão entre os partidos aliados mais revoltados com o avanço fisiológico dos petistas paulistas no governo Dilma.

Fisiologismo

Ao contrário de Lula, que ignorava o apetite fisiológico do PT, a ex-PDT Dilma cede às pressões petistas tentando se legitimar no partido.

Aparelhados

O PT-SP comanda os ministérios da Fazenda, Planejamento, Justiça, Saúde, Educação e Secretaria-Geral da Presidência, entre outros.