Ministro da Justiça de olho em licitação suspeita 

Ministro da Justiça de olho em licitação suspeita

O ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) ficou impressionado com a escandalosa licitação no Conselho Nacional de Justiça, e determinou a Polícia Federal verificar se órgãos da administração estão fazendo “adesão de ata de preço” com base no contrato da empresa NTC, parceira da multinacional Oracle que venceu a licitação. A ampliação da base de dados do CNJ, inicialmente estimada por sua Diretoria de Informática em R$ 5 milhões, saltou depois para R$ 68,6 milhões.

Mina de ouro

A “adesão à ata de preços” permite que outros órgãos públicos contratem os mesmos serviços licitados pagando preços idênticos.

Obstáculos removidos

O diretor de Informática e a diretora-geral que discordaram da compra milionária foram sumariamente afastados do CNJ.

Proposta obscena

Dizendo representar a vencedora da licitação do CNJ, um Geraldo Tavares Jr. ofereceu dinheiro para calar um repórter da BandNews.

Como avestruz

Apos o escândalo da tentativa de suborno, o CNJ fez uma reunião a portas fechadas em que decidiu que a licitação havia sido “limpa”.