Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Buraco negro estaria ficando 'descontrolado' no centro da nossa galáxia

Jornal do Brasil

O buraco negro supermassivo, conhecido como Sagittarius A*, localizado no coração da Via Láctea e geralmente calmo, emitiu um sinal de luz misterioso.

O Sagittarius A* não é um núcleo ativo, que lança luz e calor no espaço ao redor. Ele tem uma atividade baixa e flutuações mínimas em seu brilho, conforme o portal Science Alert.

Timelapse de imagens registradas por 2,5 horas no Observatório Keck do buraco negro supermassivo Sagittarius A*. O buraco negro é sempre variável, mas esse foi o mais brilhante que já vi em um infravermelho distante. Talvez fosse ainda mais brilhante antes de iniciarmos a observação naquela noite!

Entretanto, astrônomos registraram o momento em que o Sagittarius A* brilhou 75 vezes mais forte do que o normal, sendo o pico mais brilhante já visto no buraco negro supermassivo em comprimentos de onda próxima ao infravermelho.

"O buraco negro ficou tão brilhante que o confundi com a estrela S0-2, pois nunca havia visto o Sagittarius A* tão brilhante daquela maneira. Nos próximos quadros, porém, era claro que a fonte era variável e tinha que ser o buraco negro", afirmou Tuan Do, pesquisador da Universidade da Califórnia em Los Angeles.

Atualmente, astrônomos estão focados em descobrir o que teria causado o misterioso sinal, que foi captado durante as observações do Observatório WM Keck, no Havaí.

Há uma especulação de que o misterioso fenômeno esteja ligado à estrela S0-2, que está em uma longa órbita elíptica de 16 anos em torno de Sagittarius A*, e que se aproximou mais, chegando a 17 horas-luz do buraco negro, no ano passado.

"Uma das possibilidades é que a estrela S0-2 mudou a forma como o gás flui para o buraco negro, e assim mais gás está caindo sobre ele, tornando-o mais variável", afirmou Do sobre a passagem próxima da estrela.

A equipe de Do trabalha para coletar dados em uma ampla faixa de comprimentos de onda, sendo assim, outras observações ocorrerão nas próximas semanas, antes que o centro da galáxia não seja mais visível de noite da Terra.