Egito teria sido governado por 2 rainhas antes de Tutancâmon

Egiptóloga canadense afirma que Tutancâmon teria chegado ao poder depois que suas duas irmãs ocuparam o trono juntas.

Anteriormente, os especialistas sabiam que no século XIV a.C., uma rainha havia precedido Tutancâmon, afirmou à AFP Velérie Angenot, egiptóloga e historiadora da arte na Universidade de Quebec, em Montreal (UQAM).

Macaque in the trees
Pirâmides (Foto: Mohamed Azz Aldin/ UN Women)

Alguns acreditavam que a rainha fosse Nefertiti, esposa de Aquenáton, autoproclamada faraó após a morte de seu marido, enquanto outros acreditavam que a rainha teria sido a princesa Meritaton, filha mais velha de Aquenáton.

O estudo conduzido foi baseado na semiótica (estudo dos signos), que revelou que as duas filhas de Aquenáton assumiram o poder em conjunto porque seu irmão Tutancâmon, que tinha então 4 ou 5 anos de idade, era muito jovem para reinar.

Aquenáton, que havia se casado com sua filha mais velha, Meritaton, para ensiná-la a reinar, teria vinculado o poder a outra de suas filhas, Neferneferuaten Tasherit, tendo elas assumido o poder juntas sob o nome comum de Ankhkheperure, conforme o jornal Daily Mail.

A egiptóloga apresentou suas descobertas em uma reunião de egiptologistas na Virgínia, nos EUA.

Angenot adicionou que esperava poder avançar no conhecimento sobre questões de sucessão no Egito antigo e no Período de Amarna, na era do reinado de Akhenaton, conhecido como o “rei herege”.

“Acho que podemos avançar nossa compreensão sobre as questões de sucessão no Antigo Egito, mas acima de tudo, no nosso conhecimento sobre o período fascinante de Amarna, que viu o nascimento do primeiro monoteísmo”, objeto de debates cáusticos há séculos, concluiu Angenot.