Unesco reconhece construções de pedras secas como patrimônio

Pleito era de oito países europeus, como Itália, França e Suíça

A Unesco tombou nesta quarta-feira (28) a "arte das paredes de pedra seca" como Patrimônio Imaterial da Humanidade, atendendo a um pleito de oito países da Europa: Chipre, Croácia, Eslovênia, Espanha, França, Grécia, Itália e Suíça.

Com isso, a entidade reconhece como bem intangível as técnicas de construção de estruturas de pedra por meio da colocação de uma rocha sobre a outra, dispensando qualquer tipo de material para o assentamento, à exceção de terra seca em alguns casos.

Macaque in the trees
Construções de pedras secas são comuns na Europa Ocidental e nos Bálcãs (Foto: Divulgação/Unesco)

Esse tipo de edificação é comum em áreas rurais dos oito países, especialmente em terrenos íngremes, mas também está presente em zonas urbanas. "A estabilidade dessas estruturas é garantida por meio da escolha e colocação cuidadosa das pedras, e as estruturas de pedra seca moldaram diversas paisagens", justificou a Unesco.

Segundo a entidade, tais técnicas são usadas desde a pré-história e têm um "papel vital" para evitar "deslizamentos, enchentes e avalanches", combatendo a erosão do solo e a desertificação. "As estruturas de pedra seca são sempre feitas em harmonia com o meio ambiente, e suas técnicas exemplificam a relação harmoniosa entre o ser humano e a natureza", acrescentou a Unesco.