Jornal do Brasil

Ciência e Tecnologia

Cientistas descobrem Superterra 'vizinha' ao Sol

O planeta apresenta temperaturas de aproximadamente -170ºC

Jornal do Brasil

Uma "Superterra" gelada, com uma massa pelo menos três vezes maior que a do nosso planeta, foi encontrada a seis anos-luz de distância.

A descoberta foi publicada nesta quarta-feira (14) na revista científica "Nature", e o astro orbita em torno da Estrela de Barnard, uma das mais próximas do Sol, mas não se mostra habitável.

Sua imagem foi capturada por uma rede de telescópios e descrita por um grupo internacional coordenado por Ignasi Ribas, do Instituto de Estudos Espaciais da Espanha e Catalunha, e por Guillem Anglada-Escudé, da Universidade Queen Mary, de Londres.

Chamado de "Planeta B", ele foi encontrado no âmbito de dois programas de pesquisa de astros rochosos nas proximidades do sistema solar, chamados Red Dots e Carmenes.

Os pesquisadores perceberam a existência da Superterra a partir de estudos das variações da luz emitida pela Estrela de Barnard.

O planeta, mais próximo à sua estrela do que a Terra em relação ao Sol, provoca oscilações na estrela-mãe que fazem aumentar ou diminuir sua distância para a Terra.

Dessa forma, há uma alteração no comprimento da onda de luz que a estrela emite e que é capturada pelos telescópios. Um fenômeno que lembra as variações da sirene de uma ambulância que se aproxima ou se afasta, chamado efeito Doppler.

A Superterra leva 233 dias para completar a órbita em torno da Barnard, uma anã vermelha que ilumina de uma forma tão fraca que a sua energia equivale a 2% daquela que a Terra recebe do Sol.

Segundo as primeiras análises, o novo planeta tem uma temperatura de -170ºC, incompatível com a ideia de vida como a conhecemos.

Barnard é a estrela individual mais próxima do Sol, atrás apenas do complexo de Alfa Centauri.