Perdido quanto aos avanços da tecnologia? Acompanhe a indústria dos games

Macaque in the trees
. (Foto: Pixabay)

A indústria dos games está em constante mudança, sempre avançando e ficando na vanguarda

Quando se fala que os tempos atuais são os mais intensos e dinâmicos da história da humanidade pode parecer um exagero. Mas ao ver a evolução da tecnologia e o fato que profissões surgem a todo momento e indústrias inteiras passam por um processo de disrupção, isso começa a ficar mais claro. Um setor que pode ser fascinante de acompanhar é o dos games.

Quando eles se popularizaram, nos anos 80 no mundo, e nos 90's em países como o Brasil, eles eram vistos como coisa de criança, seus gráficos eram muito simples e o preço bastante salgado. Desde lá, um longo caminho. 

Videogames

Os videogames são protagonistas aqui. O Super Nintendo, Nintendo 64, Game Cube e Wii, as quatro gerações de Playstation, o XBOX... todos eles foram avançando conforme os tempos. No começo se jogava apenas contra o computador, depois foi possível fazer partidas em dois, três, quatro e até mais. Mas a verdadeira evolução foi recente e online.

No fim da primeira década dos anos 2000 as empresas como a Sony e Microsoft criaram ambientes online e os jogos começaram a ser jogados por pessoas ao redor do mundo, umas contras as outras. Isso abriu um gigantesco arsenal de possibilidades e a expansão dos e-sports é uma consequência: a estrutura foi criada e as pessoas abraçaram. 

Mobile

Pode parecer louco, mas o Game Boy é um dispositivo móvel. Claro, não tinha internet nele, mas a ideia de transportar um aparelho e poder jogar nele é bastante antiga, as crianças dos anos 90 eram early adopters (primeiros a adotar) para usar um termo da moda.

O mesmo serve para quem usava o celular Nokia azul para jogar Snake e ficava se gabando da pontuação alta. Hoje o snake é quase pré-jurássico comparado aos games que é possível jogar nos smartphones, seja baixando um aplicativo ou direto no navegador. Tanto os gráficos como os efeitos audiovisuais melhoraram muito. Angry Birds, Pokemon Go, Candy Crush e muitos outros são um espetáculo e referência nos jogos online.

A indústria do iGaming

A evolução da tecnologia e seu mundo de possibilidades fica clara quando se analisa a indústria do iGaming. Os cassinos online, por exemplo, tinham um catálogo muito restrito quando começaram, com poucos jogos, gráficos amarrados e até a possibilidade de depositar dinheiro nos sites foi um problema que demorou a ser solucionado.

Hoje tudo isso ficou para trás. Graças aos trabalhos de desenvolvedoras de jogo como Net Entertainment e Playtech, os jogos de roleta, slots, cartas e tudo mais estão na vanguarda da tecnologia.

É possível jogar no Sportsbet Casino Online com um crupiê de carne e osso que pode estar a milhares de quilômetros de distância. Isso porque o serviço de streaming possibilita uma conexão forte e que conecta essas duas partes como se fosse um cassino físico. A ideia de realidade virtual também começa a ser adotada por alguns cassinos, permitindo que o cliente “ande” por um salão e sente na mesa para jogar, como se estivesse em Las Vegas.

Outra inovação sensacional, que mistura o ao vivo com o online, é a possibilidade de conectar em uma mesa de roleta de cassino físico, por exemplo, apostadores que estão apostando em casa com os que estão ali, presentes em carne e osso, no mesmo jogo. Essa é uma prova como a tecnologia avançou: ela é cada vez mais rápida e responsiva. 

Não é só para crianças

Todas as crianças dos anos 80 e 90 cresceram. E elas sabem do poder que um game tem nas pessoas, seja a narrativa, a imersão que gera, a diversão e até a possibilidade de aprendizado.

É isso que está por trás do conceito do gamification, ideia cada vez mais usada por empresas. Se for possível transformar atividades tediosas, como preencher relatórios, fazer um treinamento ou até fazer a comunicação com o cliente em algo divertido, gerando incentivos, por que não? O gamification consiste em criar games com objetivos, desafios, prêmios imediatos e assim motivar colaboradores e clientes.

Essa é uma prova de como as coisas estão avançando em uma velocidade insana nas últimas décadas. A indústria dos games é um belo case nesse sentido.