Google começa a responder pedidos de dados feitos por investigadores do Texas

Autoridades do Texas que lideram uma investigação sobre as práticas de publicidade no Google, da Alphabet, começaram a receber dados da empresa após duas investigações anteriores atolaram em extensas disputas por documentos.

O escritório do procurador-geral do Texas disse que, na quinta-feira, havia recebido alguns dados do Google, mas se recusou a discutir mais.

Macaque in the trees
Google (Foto: REUTERS/Dave Paresh)

A investigação, que envolve todos os procuradores gerais dos Estados dos EUA, exceto Alabama e Califórnia, procura apurar o obscuro negócio de publicidade digital online, onde o Google é um participante dominante.

O Google, que não comentou imediatamente a matéria, oferece pesquisas gratuitas, e-mail e outros serviços, mas grande parte de sua receita é proveniente de publicidade.

A investigação está em estágios iniciais. O Texas enviou um longo pedido de informações ao Google no mês passado, com uma data de resposta de 9 de outubro.

Pelo menos duas vezes anteriormente, o Google lutou com os procuradores gerais sobre os dados necessários para concluir as investigações, que incluíam questões antitruste e de proteção ao consumidor.

Jeff Mateer, o primeiro assistente do procurador-geral do Texas, disse em uma entrevista que o Google respondeu através de seus advogados ao pedido de documentos do mês passado.

"Estamos negociando a colaboração deles", afirmou. "Até o momento, eles parecem estar cooperando".

Se o Google recusar, os Estados lutarão, acrescentou Mateer.

"Se tivermos que usar os tribunais para obter as informações, então usaremos", disse ele.

O Google enfrenta outras duas grandes investigações - uma do Departamento de Justiça dos EUA e uma do Comitê Judiciário da Câmara dos Deputados -, as quais estão realizando amplas análises das grandes empresas de internet.