Empresas apresentam tecnologia para monitoramento 'online' de dados clínicos

O aumento da expectativa de vida da população, o desenvolvimento de doenças crônicas e o sedentarismo exigem mudanças na forma de lidar com prevenção, diagnósticos, monitoramento e com o tratamento de doenças. Pensando nisso, a mCare, “joint venture” entre a Montreal, integradora de soluções de TI, e a Elar, empresa do segmento de saúde e gestão médica especializada em produtos médicos nacionais e importados, desenvolveu um sistema que permite o acompanhamento e compartilhamento online das condições de saúde do usuário. 

O mCare possibilita a transmissão em tempo real de indicadores clínicos como temperatura, pressão arterial, taxa de glicose, entre outros, para um médico, hospital, plano de saúde ou qualquer outro destinatário indicado pelo usuário. O sistema também funciona com pacientes internados sob regime de home care.

O mCare, apoiado na tecnologia bluetooth, transmite dados dos dispositivos (termômetro, aparelho de pressão, oxímetro, balança etc.) para o smartphone (iOS ou Android) ou qualquer outro device do paciente ou de um acompanhante. As informações podem ser compartilhadas com o médico e, em caso de oscilações atípicas, ele recebe ainda alerta imediato. O sistema permite ainda a transmissão dos dados clínicos aos profissionais envolvidos em um determinado atendimento. O histórico do usuário fica armazenado na nuvem, em um ambiente desenvolvido pela Montreal, o MI Box.

A tecnologia será apresentada na 24ª edição da Hospitalar, que será realizado entre os dias 16 e 19 de maio, no Expo Center Norte, em São Paulo.

O mCare funciona por meio de três canais integrados: um aplicativo para o usuário (disponível para os usuários dos sistemas iOS, Android e Windows), um portal internet e dispositivos de sinais vitais. Por ora, a tecnologia estará disponível para dois tipos específicos de termômetro, um de contato e outro de medição contínua, um oxímetro, um aparelho de pressão, um glicosímetro e uma balança.

No acompanhamento contínuo da taxa de glicose, por exemplo, o dispositivo fica conectado ao usuário, com uma medição periódica predefinida. O dispositivo está conectado por bluetooth ao smartphone ou tablet, que recebe e transmite os dados para a central da Montreal. Em caso de alguma intercorrência, uma variação de taxa fora dos limites previamente estabelecidos, o sistema automaticamente envia as informações para o cadastrado que o paciente indicar, por meio de sms, e-mail ou contato de voz.

“Fala-se muito, hoje em dia, em wearables, ou seja, em controlar o indivíduo monitorando-o e, de modo proativo, tomar uma ação em seu benefício. Por sua vez, o número de pacientes crônicos cresceu significativamente no Brasil. A Montreal dedicou-se, então, a desenvolver, uma tecnologia capaz de dinamizar o atendimento médico e melhorar a qualidade de vida de portadores de doenças crônicas ou mesmo pacientes em home care. Neste caso, o tempo entre um problema clínico, a transmissão das informações e o contato com o médico é ainda mais vital e decisivo”, diz Adriano Carpinetti, gerente de Inovações da Montreal.

“O mCare torna o tratamento mais eficaz tanto para o médico quanto para o paciente. O monitoramento faz com que as chances de erro tonem-se menores e as de melhora, maiores por ser um monitoramento full time. Todos os dispositivos são homologados, o que gera uma maior credibilidade”, completa o médico, com ampla experiência em home care e pacientes graves, Fabrício Ferreiro.