Trânsito: um dos fatores decisivos na escolha de colégios

Facilidade de acesso passa a ser quesito primordial, é o que apontam responsáveis 

Se há algo em comum entre os brasileiros que vivem nas metrópoles do país é a insatisfação com o trânsito. Enfrentar longos congestionamentos é a rotina de muita gente, e se você é do tipo que reclama toda vez que fica “parado” por horas em algum ponto da sua cidade, não se preocupe, há razão para isso. Uma pesquisa recente (2015) aponta 200 cidades com o pior trânsito do mundo. 

No Brasil, a capital federal aparece na oitava posição. Com esse levantamento, outro ponto é discutido: a qualidade de vida de quem vive nos grandes centros. Especialistas indicam que o ideal seria que as pessoas realizassem suas atividades próximo de casa, por exemplo, estudar, trabalhar, ir à academia. Isso implicaria em redução da quantidade de veículos nas ruas. 

É justamente com o objetivo de promover melhores condições para seus alunos e profissionais que a Rede Educacional Alub aposta no conceito de escola-bairro, o que impede deslocamento destes para locais mais distantes. A partir de 2017, por exemplo, os estudantes de Ceilândia Norte contarão com mais uma filial do Alub, além de Guará, Vicente Pires, enquanto Sobradinho terá a sua primeira unidade. 

“O Alub já desenvolve o conceito de escola-bairro há alguns anos e agora estamos ampliando com essas novas unidades. O nosso objetivo com isso é o de minimizar os transtornos provocados pelas dificuldades de locomoção encontrados nos grandes centros, o que acaba afetando o rendimento do aluno. Fizemos um levantamento e identificamos que ao optar por estudar em uma escola mais próxima de casa o estudante economiza uma média de 40/ 50 minutos ou até mais”, pontua Alexandre Crispi, especialista em educação e diretor da Rede Educacional Alub. 

Mas as novidades para 2017 não param por aí. Haverá mudanças também na grade curricular. Além de atender as exigências do MEC, a rede passa a adotar o Programa Escola da Inteligência.  Criado por Augusto Cury, médico psiquiatra, psicoterapeuta, pesquisador e escritor, o projeto tem como objetivo promover a educação das emoções e o desenvolvimento das funções mais nobres da inteligência como a empatia, o pensar antes de agir e reagir, o autocontrole, assim melhorando o aproveitamento escolar. 

“A nossa instituição já tem na sua grade matérias como educação financeira, cidadania e ética e empreendedorismo, que são extracurriculares. Acrescentar a tudo isso uma filosofia nova de alguém com a expertise do Dr. Augusto Cury, consideramos de fundamental importância para o desenvolvimento dos nossos estudantes”, salienta Crispi.