Nobel de Química premia trio de 'máquinas moleculares'

Vencedores são Jean Sauvage, James Stoddart e Bernard Feringa

O francês Jean-Pierre Sauvage, 71 anos, o britânico James Fraser Stoddart, 74, e o holandês Bernard Feringa, 65, conquistaram nesta quarta-feira (5) o Prêmio Nobel de Química de 2016 pelo desenvolvimento de máquinas moleculares.

    Eles foram escolhidos pela Academia Real Sueca de Ciências por terem construído dispositivos capazes de reproduzir os movimentos que as células realizam em condições naturais, algo que pode revolucionar o setor de nanotecnologia.

    Isso porque os três premiados abriram caminho para realizar dispositivos cada vez menores. Sauvage trabalha na Universidade de Estrasburgo, na França; Stoddart, na Universidade Northwestern, nos EUA; e Feringa, na Universidade de Groningen, na Holanda.

    Esse é o terceiro Nobel entregue neste ano, após o de Medicina, dado ao o japonês Yoshinori Ohsumi, e o de Física, ao trio de cientistas britânicos David Thouless, Duncan Haldane e Michael Kosterlitz.

    Na próxima sexta-feira (7) será anunciado o vencedor do Nobel da Paz, e no dia 13 de outubro, do de Literatura. (ANSA)