Hospital da Criança ganha setor exclusivo de quimioterapia ambulatorial

Os pequenos pacientes do Hospital Estadual da Criança, em Vila Valqueire, Zona Norte do Rio, que realizam quimioterapia, poderão, a partir de agora, passar a fazer o tratamento de forma ambulatorial em setor exclusivo para o procedimento. O serviço, com capacidade de realizar 200 quimioterapias e hemotransfusões por mês, tem por objetivo dar continuidade ao tratamento dos pacientes onco-hematológicos pediátricos da unidade, diminuindo, com isso, o tempo de internação. 

O novo setor é composto por 10 espaços individualizados, equipados com cadeiras para paciente e acompanhante, que contam com televisores e videogames para entreter os pequenos pacientes durante o período de infusão dos quimioterápicos. A unidade será atendida por equipe multidisciplinar que inclui médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos, assistentes sociais e terapeutas ocupacionais.

Desde abril deste ano, o HEC realiza quimioterapia nos pacientes que estão internados na unidade. Até agora, foram feitos 479 procedimentos do tipo.

"Hoje, o Hospital da Criança é referência de atendimento. Demos mais um passo nesse sentido com a inauguração do setor de quimioterapia, ajudando as crianças que precisam desse tratamento", comentou o secretário de Estado de Saúde, Sérgio Côrtes.

Inaugurado em 4 de março deste ano, o HEC é a primeira unidade do Rio de Janeiro voltada exclusivamente para atendimento pediátrico referenciado. O hospital realizou até o final de setembro cerca de 1.200 cirurgias nas áreas de ortopedia, geral, oncologia e transplantes. Destas 45% são ortopédicas. Além disso, foram feitos no período 2.644 exames e 3.190 consultas ambulatoriais. A unidade conta com 58 leitos de enfermaria, 16 de UTI neonatal, 10 de UTI pediátrica, quatro salas cirúrgicas, quatro consultórios de ambulatório, um consultório odontológico e uma oficina de próteses e oferece exames de ultrassonografia, tomografia computadorizada, ecocardiografia e broncoscopia, além de serviços de fisioterapia motora e respiratória, terapia ocupacional e apoio psicológico para pacientes e familiares. 

O hospital tem capacidade para realizar 8.400 consultas ambulatoriais, 3.360 procedimentos cirúrgicos de alta complexidade e 2.400 quimioterapias por ano.