Menina que caiu em água escaldante se recupera após 321 operações  

Uma menina de 5 anos que caiu em uma banheira com água quente quando tinha apenas 15 meses se recuperou após 321 operações, no Reino Unido. Na época do acidente, os médicos deram a Tilly Sawford apenas 5% de chance de sobreviver. Ela teve queimaduras em 86% da pele. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

Em 8 de março de 2009, o irmão da menina acidentalmente abriu a água quente da banheira. Por causa de um defeito na caldeira da casa, a água ficou escaldante em poucos segundos e Tilly caiu no líquido. "Eu ouvi um grito e subi correndo as escadas. Tilly estava na banheira. Ela deve ter se inclinado e caiu", diz a mãe, Emma, 26 anos.

Segundo a mãe, a menina ficou poucos segundos na água, mas foi o suficiente para ela desmaiar com a dor. "Eu pensei que ia entrar em choque, eu não conseguia falar direito, foi horrível", diz Emma. Ela e o marido, Kyle, 25 anos, correram com Tilly para o Centro Médico Queens. A menina foi transferida para o Hospital da Criança de Birmingham, onde passou por uma cirurgia de 12 horas.

A criança teve que passar por centenas de operações - os médicos chegaram a usar cartilagem de tubarão e colágeno de vacas para enxertar na menina. "Eu realmente pensei que eu tinha perdido minha filha. Eu pensei várias vezes que teria que planejar o funeral. O fato de ela não ter morrido é um milagre", diz a mãe.

Emma conta ainda que a família se mudou para evitar as lembranças do acidente, mas a menina teve uma recuperação que surpreendeu a todos. Contudo, ela ainda tem que usar um andador ou muletas para ir à escola, a qual ela voltou a frequentar em setembro.

Na segunda-feira, Tilly passou pelo 321º procedimento cirúrgico. Para o cirurgião Ciaran O'Boyle, do centro que atendeu primeiramente a menina, a recuperação dela é um feito do esforço médico e da própria criança: "A coisa mais marcante e surpreendente sobre Tilly é que ela sobreviveu. (...) Se ela não tivesse recebido o tratamento certo nas primeiras 24 horas, ela poderia ter morrido."

"Eu me sinto melhor do que antes, eu não consigo mais esperar para ir à escola e brincar com meus amigos. Eu adoro cantar também, eu sempre canto toda vez que posso. A escola é muito divertida e fazer contas é a coisa que eu mais gosto", diz a menina ao jornal britânico.