Games violentos são retirados de paradas em Massachussetts

Um mês depois do massacre de Newtown, no qual 20 crianças e seis adultos foram assaassinados, cidades próximas ao local do crime retiraram máquinas de fliperama com jogos violentos de suas paradas de descanso, locais públicos instalados próximos a estradas onde os motoristas podem abastecer o carro, comer e usar banheiros. As informações são do jornal norte-americano Boston Globe

"As pessoas têm a liberdade de ter quaisquer video-games que queiram em suas casas. Mas não podemos entrar em uma parada localizada a uma hora de Newtown e ver e ouvir uma arma de guerra sendo usada em um jogo", opinou ao periódico Andrew Hyams, morador da cidade de pouco mais 27 mil habitantes, logo depois de perceber que os jogos violentos não estavam mais disponíveis no posto de Charlton para crianças como seu filho, Tracey, de 12 anos. "Você podia ouvir o barulho dos tiros do banheiro."

De acordo com o Secretário dos Transportes Richard Davey, foi necessária a retirada de games do gênero no perímetro em volta ao município onde ocorreram as mortes, pois estes podem ser usados por pessoas de todas as idades em um espaço público. "Para mim, o fundo do poço é que não existe nenhuma pessoa a não acreditar que exista muita violência em nossa sociedade e que os games a glorificam" disse. "No finam do dia, esses fliperamas estão aí para entreter crianças, provavelmente por alguns minutos, enquanto seus pais descansam de uma longa viagem. Acho que faz todo o sentido deixá-los mais leves."

Representantes da comunidade de Newtown chegaram a propor uma ação para recolher games violentos dos cidadãos, oferecendo em troca um vale de US$ 25, subsdiado pela Câmara de Comércio da Cidade. No final de dezembro, a NRA (Associação Nacional de Rifles), organização em defesa do uso livre de armas de fogo nos EUA publicou comunicado no qual culpava jogos violentos pelo massacre ocorrido em Connecticut.