Telescópio faz novo registro de imenso aglomerado de estrelas

O Observatório Europeu do Sul (ESO, na sigla em inglês) divulgou nesta quinta-feira uma nova imagem do aglomerado globular 47 Tucanae feita pelo telescópio Vista. O registro pode ajudar a entender como esses enormes grupos de estrelas se formam.

Os aglomerados globulares são agrupamentos esféricos de imensas estrelas que orbitam os núcleos das galáxias - assim como luas orbitam um planeta. O 47 Tucanae está a cerca de 15 mil anos-luz da Terra e possui muitas estrelas que formam sistemas considerados "estranhos" e "interessantes" pelo ESO.

Ele tem 120 anos-luz de dimensão - é tão grande que, mesmo a essa distância, ele tem o tamanho aparente da Lua Cheia no nosso céu. Entre os estranhos objetos do aglomerado, estão fontes de raios-x, estrelas vampiras (que absorvem massa de uma companheira) e pequenos objetos chamados de pulsares de milissegundo (os restos de estrelas mortas e que giram em velocidades altíssimas). Chamam a atenção na imagem diversas estrelas vermelhas.

Curiosamente, o Vista trabalha atualmente registrando as Nuvens de Magalhães - duas galáxias próximas da Via Láctea. Contudo, como o aglomerado estava na frente da Pequena Nuvem, acabou registrado durante o rastreio.