Morre chimpanzé que se comunicava por linguagem de sinais

Um chimpanzé de 36 anos, que usava linguagem de sinais americana para se comunicar, morreu repentinamente no último sábado. Dar, como era chamado, era o segundo membro mais novo de uma família de macacos e era um dos três chimpanzés que se comunicavam por sinais na Universidade Central de Washington.

De acordo com o jornal britânico Daily Mail, ele aprendeu a linguagem na infância quando convivia tanto com macacos quanto com humanos na Base de Força Aérea Holloman, no México. Dar morreu de causas ainda desconhecidas, e uma autópsia será feita nos próximos dias. 

"Dar se comunicou com sinais por toda sua vida, nos ensinando sobre amizades entre humanos e não-humanos, e sobre a mente dos chimpanzés", afirmou a diretora do Instituto de Comunicação Humana e de Chimpanzés, Mary Lee Jensvold. "Ele fará muita falta", concluiu.

O tempo de vida dos chimpanzés em média varia de 40 a 45 anos, ainda que alguns possam viver mais em cativeiro. Dobrando as expectativas, Cheetah, o chimpanzé que estrelou nos filmes de Tarzan, morreu no ano passado aos 80 anos de idade.