Estudo: 35% das pessoas levam trabalho para os lençóis

Um em cada três pessoas admitem que usam o computador ou o tablet para acessar a internet e trabalhar na cama. De 1 mil entrevistados, 35% disseram que eles mesmos, ou seus companheiros, levavam o trabalho para os lençóis, informa o Daily Mail.

Entre os "trabalhadores de cama", 5% disseram que o fazem por até duas horas a cada dia, além do expediente normal. O estudo foi feito pela empresa Infosecurity Europe.

Conforme o jornal, a tendência parece ter se iniciado nos Estados Unidos, já que pesquisas anteriores realizadas em Nova York apontavam que oito em cada 10 americanos mantêm o mesmo hábito.

De acordo com Paula Hall, consultora de relacionamentos da Relate, uma organização britânica que desenvolve pesquisas e serviços relacionados às relações interpessoais, essa entrada do trabalho no quarto pode ser prejudicial.

"Isso invade o tempo do casal. Você passa menos tempo junto, apesar de estar no mesmo espaço físico ao mesmo tempo. Os casais precisam estabelecer limites em relação ao trabalho em casa antes que se torne um trabalho. As pessoas devem se perguntar se não estão fazendo isso porque preferem trabalhar a passar tempo junto com seus parceiros", disse Paula ao Daily Mail.

Além da vida pessoal, a saúde também é afetada, segundo Richard Jones, do Instituto de Segurança e Saúde Ocupacional: "parece uma coisa boa e acolhedora trabalhar com o travesseiro nas costas, mas não é uma boa postura para se trabalhar".

Trabalhar na cama também pode dificultar o "desligamento" do trabalho na hora de descansar, completa o jornal.