Proteína do HIV é a nova arma de combate ao câncer

Um laboratório israelense descobriu que um peptídio (proteína de peso molecular pequeno), codificado pelo vírus HIV, pode proporcionar um novo tratamento para o câncer. O peptídio derivado da proteína 'Vif', do HIV, aumenta a vulnerabilidade das células cancerosas à radioterapia e à quimioterapia, mostraram os professores Moshe Kotler e Roni Nowarski, da Hadassah Medical School, da Universidade Hebraica de Jerusalém.    

A equipe do professor Kotler investigou as proteínas celulares que são eficazes no combate ao vírus HIV-1. Uma dessas proteínas é a APOBEC3G (A3G), que é neutralizada pela Vif. Anos atrás, os pesquisadores voltaram sua atenção para as funções fisiológicas da A3G e descobriram que ela está envolvida na reparação de danos ao DNA provocados por radiação.

Isto é de interesse significativo para a guerra contra o câncer. Enquanto células cancerosas, tais como células de linfoma, não podem ser destruídas a menos que as suas cadeias de DNA sejam quebradas, a ação reparadora da A3G torna esta tarefa difícil.

"Depois de danos no DNA, as células podem sobreviver", diz Kotler. "Na terapia, tenta-se matar as células cancerosas, e o peptídeo derivado da Vif neutraliza essa proteína [A3G], de modo que a radiação ou quimioterapia pode ser muito eficaz".