Tumor raro: menino de 5 anos dá primeiros passos após tratamento

Um menino de 5 anos conseguiu dar os primeiros passos após usar um medicamento experimental. Alfie Milne tinha um tumor que atingia a perna direita, região pélvica, intestino, estômago e coluna, mas uma droga fez o câncer diminuir e permitiu ao pequeno andar. As informações são do site do jornal britânico Daily Mail.

A condição de Alfie é considerada rara - apenas 500 pessoas sofrem do mesmo problema, segundo o jornal - e o tumor era tão grande que os médicos não podiam remover. "É incrível. A mudança ocorreu praticamente da noite para o dia", diz a mãe Tracy, 39 anos, de Aberdeen (Reino Unido).

"Ele passou de uma criança que ficava a maior parte do tempo no sofá, porque ele sentia muita dor, para um menino muito alegre", diz a mãe. "Ele quer jogar futebol, pular no trampolim e subir em árvores. Ele às vezes esquece que não pode fazer todas essas coisas, mas ainda quer tentar. Nada para ele."

Alfie sofre de uma rara linfangiomatose, doença causada por malformação do sistema linfático e que foi diagnosticada quando ainda tinha 18 meses de idade. O tumor deixa o menino com ossos frágeis e causa sangramentos internos. Desde que começou a tomar o medicamento, em setembro, o quadro da criança mudou e ela não precisa mais visitar o hospital toda semana.

A droga, chamada de Sirolimus, é comumente usada para evitar rejeição de transplante de rins, mas não para tratar tumores. Alfie tinha que tomar morfina por causa da doença, mas a mãe explica que agora ele está livre da dor, o que o permitiu dar os primeiros passos.

"Foi muito emocionante. Ele ficou em pé e disse: 'Mãe, olhe para mim' e deu três passos", diz Tracy. "Ele até me fez guardar segredo do pai, por que ele queria treinar antes de mostrar para ele. Meu marido deixou cair algumas lágrimas quando o viu caminhando."

O menino ainda tem que tomar potentes drogas contra câncer uma vez a cada sete semanas e esteroides duas vezes por dia para evitar sangramentos. Os médicos esperam que a próxima sessão de quimioterapia seja a última e querem, ao mesmo tempo, acabar com o uso de esteroides.

A família se empenha em levantar fundos para uma organização que busca uma cura para a doença (Lymphangiomatosis and Gorham's Disease Alliance). Para Alfie, Tracy espera que agora ele possa ir pela primeira vez para a escola em breve e com os próprios passos.