Para ABNT, Brasil está no caminho do desenvolvimento sustentável

O Brasil está em uma posição de destaque quando se trata de normas para o desenvolvimento sustentável, avalia o gerente de Relações Internacionais da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), Eduardo Campos de São Thiago.

A ABNT vai participar da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que ocorrerá em junho, no Rio de Janeiro. A entidade demonstrará como as normas podem auxiliar as empresas na busca pela sustentabilidade. O acervo da associação reúne cerca de 9 mil normas.

“Eu tenho a sensação de que o Brasil está no caminho de absorver os conceitos de desenvolvimento sustentável, de responsabilidade social”, disse em entrevista à Agência Brasil. “Pode-se dizer hoje que a maioria das empresas nacionais está seguindo as normas de sustentabilidade”, acrescentou.

O país, por meio da ABNT, está presente em todos os comitês da International Organization for Standardization (ISO) para elaboração de normas ligadas ao desenvolvimento sustentável. Sediada em Genebra, na Suíça, onde foi fundada em 1947, a ISO é uma organização que aprova normas internacionais em todos os campos técnicos.

Eduardo São Thiago citou o exemplo da norma ISO 26.000 de Responsabilidade Social, publicada em 2010, cujo comitê teve o Brasil e a Suécia como líderes. Para ele, a disputa para completar o total de especialistas brasileiros para a formulação da norma ISO 26.000 demonstra o interesse do país de participar do processo e absorver esses conceitos.

O gerente salientou que, aplicadas a produtos, processos e serviços, as normas técnicas são instrumentos fundamentais para que governos e empresas, por exemplo, alcancem os melhores resultados. Dentro do contexto do desenvolvimento sustentável, ele analisou que as principais normas da ABNT são as que tratam de responsabilidade social, qualidade, eficiência energética e gestão ambiental.

Está em fase final de elaboração a norma para sustentabilidade de grandes eventos (ISO 20.121), “que é outra coisa que impacta muito a área de desenvolvimento sustentável”, destacou o gerente da ABNT. Essa norma deverá ser publicada ainda este ano.

O Brasil lidera a discussão que estabelecerá as diretrizes nesse campo, destacou Eduardo São Thiago. Uma das sugestões, por exemplo, é que se utilizem fornecedores da região onde o evento será realizado, priorizando a mão de obra e a economia local. “Tem a ver com a utilização correta dos recursos e não impactar negativamente o meio ambiente”, ressaltou.