Pesquisadores desenvolvem equipamento que diagnostica a malária em 30 minutos

Um grupo formado por pesquisadores de diversos países anunciou, esta semana, o desenvolvimento de uma nova ferramenta capaz de diagnosticar a malária em menos tempo e que pode ser usada sem a necessidade de uma equipe altamente qualificada. A descoberta representa um passo importante para a redução da mortalidade pela doença em áreas remotas, especialmente em algumas regiões da África, onde os hospitais nem sempre conseguem atender a elevada demanda de pacientes. De acordo com relatório de 2010 da Organização Mundial da Saúde (OMS), 91% das vítimas da enfermidade residiam no continente.

O sistema consiste em um sensor ótico que consegue identificar as células vermelhas do sangue infectadas pela malária ao analisar a forma como estas refletem um feixe de raio laser. Os resultados são obtidos em até 30 minutos. Atualmente, o exame usado na maior parte das instituições de saúde africanas demora de 8 a 10 horas para ficar pronto. Além de tornar o tratamento mais eficaz, a técnica ajuda a diminuir a probabilidade do surgimento de cepas resistentes às medicações.

"O desenvolvimento de uma nova ferramenta era urgente. Com um equipamento portátil, barato e preciso, os profissionais poderão optar pela terapia correta rapidamente", pondera o médico Dan Cojoc, líder do trabalho.

A malária é uma doença causada pelo protozoário do gênero Plasmodium. Sua transmissão ocorre por meio da picada do mosquito fêmea Anopheles. Os infectados podem apresentar sintomas como dor de cabeça e no corpo, fraqueza, febre alta e calafrios. Em geral, esses quadros são acompanhados por dor abdominal e nas costas, tontura, náuseas e vômitos. Gestantes, crianças e pessoas infectadas pela primeira vez estão sujeitas a maior gravidade da doença.

O período de incubação, ou seja, o intervalo entre a aquisição do parasita (infecção) até o surgimento dos primeiros sintomas, varia em geral de oito a 17 dias. De acordo com o Ministério da Saúde, não há vacina contra a doença e o melhor caminho é a prevenção.