Apple diz que bateria do novo iPad não chega a 100% de propósito

O novo iPad da Apple, depois de sofrer críticas por esquentar mais do que a segunda geração do tablet, voltou a ser alvo de ataques depois de uma notícia de que a bateria "mente" sobre estar 100% carregada. A companhia de Cupertino se manifestou sobre o assunto nesta terça-feira, um dia após as denúncias, e afirmou que não só o iPad, como o iPhone e o iPod Touch operam dessa mesma forma, e que tudo é um mecanismo do iOS para garantir a vida útil da bateria, segundo um executivo da Maçã ao All Things D.

Michael Tchao, um dos vice-presidentes da Apple, afirmou ao site que "o circuito é desenhado para que você possa manter seu dispositivo na tomada por quanto tempo quiser". Para tanto, quando a bateria atinge 100% de carga ela descarta uma pequena quantidade de energia e volta a recarregá-la até o limite máximo. O processo ocorre sucessivamente até a desconexão do cabo de energia, para que não haja sobrecarga da bateria quando o aparelho fica muito tempo conectado à rede elétrica.

De acordo com Tchao, o mecanismo "existe desde sempre no iOS", e só não há um aviso toda vez que a quantidade baixa esse pouco e volta aos 100% para que o usuário não se distraia ou se confunda com notificações na tela. Donos do novo iPads, de acordo com o vice-presidente, não precisam se procupar, porque uma vez que a carga aparece como 100%, as dez horas de bateria do produto estão garantidas.