Bélgica recomenda retirada de implantes mamários PIP 

O Conselho Superior da Saúde (CSS) belga e a ministra da Saúde recomendaram a extração "em um prazo razoável" dos implantes mamários da empresa francesa PIP, após a explosão do escândalo internacional por próteses defeituosas.

Referindo-se a um "risco de ruptura", a ministra da Saúde, Laurette Onkelinx, convocou as mulheres que tenham as próteses de silicone a retirá-las "sem urgência".

Estima-se que cerca de 400 mil mulheres em todo o mundo receberam implantes mamários produzidos pela empresa francesa Poly Implant Prothese (PIP), que fechou em 2010 depois da descoberta de que enchia suas próteses com um gel de silicone de tipo industrial, e não medicinal.

A descoberta do uso do gel industrial ocorreu em março de 2010 e as autoridades ordenaram o bloqueio imediato das próteses da PIP, mas milhares de peças já haviam sido distribuídas por vários países do mundo.

Na semana passada, a justiça francesa acusou o fundador da PIP, Jean Claude Mas, de "danos involuntários", além de fraude.