Empresa chinesa desiste de vender bonecos de Steve Jobs

Um boneco que representa de forma muito real o falecido precursor tecnológico Steve Jobs não será comercializado devido à "imensa pressão dos advogados da Apple e da família" de seu fundador, informou nesta segunda-feira a empresa que desenhou o protótipo em um comunicado.

"Infelizmente, recebemos uma imensa pressão dos advogados da Apple e da família de Steve Jobs", escreveu a In Icons, com sede na China.

O boneco de 30,4 cm, cuja comercialização havia sido anunciada no início do mês, seria lançado em fevereiro por 99 dólares.

"Embora ainda acreditemos que não excedemos qualquer limite legal, decidimos suspender completamente a oferta, produção e venda do boneco de Steve Jobs devido à nossa sincera sensibilidade em relação aos sentimentos da família de Jobs", acrescentou o texto, enviado em um e-mail.

O site da In Icons mostra imagens do boneco com feições surpreendentemente reais.

"Estamos produzindo os bonecos para os fãs da Apple que realmente admiram Steve Jobs e sofrem por sua morte", disse há cerca de duas semanas à AFP um responsável da empresa DiD Corp, que pediu para não se identificar.

A DiD Corp. iria produzir os bonecos enquanto a In Icons se ocuparia de desenhá-los e de sua venda em nível mundial.

O fundador da Apple - com sede na Califórnia - morreu em outubro do ano passado aos 56 anos após uma longa batalha contra o câncer.