No Twitter, magnata Rupert Murdoch critica Obama e Google e apoia Sopa

O magnata de mídia Rupert Murdoch aproveitou o fim de semana para causar polêmica no Twitter, rede social em que se registrou no início do ano. Primeiro, o dono da News Corp atacou o presidente norte-americano, afirmando que Barack Obama "entregou a sua parte aos 'mestres do pagamento' do Vale do Silício, que ameaçam os criadores de software com pirataria". O comentário é uma referência à posição da Casa Branca de não apoiar a censura na web.

No segundo tweet sobre o tema, também no sábado, afirmou que o Google é o "líder em pirataria" no mundo, uma vez que "faz stream de filmes gratuitamente e vende anúncios relacionados a eles". O post ainda dizia que "não é à toa que o Google está despejando milhões em lobby", em referência à campanha da empresa de Mountain View contra o Sopa. O projeto de lei (do inglês Stop Online Piracy Act) prevê mais poder ao governo dos EUA para retirar do ar sites que reproduzam conteúdo não autorizado pelos detentores dos direitos autorais.

No domingo, o Murdoch voltou ao microblog para continuar o assunto. "Vão além do que o senso comum. O Google é uma ótima companhia fazendo muitas coisas interessantes. Mas tenho uma reclamação, e é importante", iniciou. Na mensagem seguinte afirmou que pesquisou o termo "missão impossível" no buscador e que os resultados listavam uma série de sites oferecendo "links de graça" para baixar o filme. "Com certeza me engano em muitas coisas, mas não em relação a roubo. Sem querer o Google bloqueia muitas outras coisas indesejadas", encerrou o magnata de mídia.

Em resposta às acusações, o diretor de políticas do Google, Derek Slater, tuitou informando o milionário sobre os direitos que ele, enquanto produtor de conteúdos autorais, já tem sobre suas propriedades. Além de sugerir links usados para avisar ao gigante de buscas sobre materiais com direitos reservados que estão indevidamente publicados na web, o executivo sugeriu que Murdoch buscasse "copyright removal" (remoção de conteúdo com copyright) no Google e ele encontraria as respostas. "Muito legal ver @RupertMurdoch reunindo informações sobre como ele pode garantir o cumprimento de seus direitos reservados usando o Twitter, uma plataforma que depende do DMCA lei que protege direitos autorais na internet", finalizou Slater.