Mesmo sem sol, é preciso usar protetor. Conheça mitos e verdades do verão

O verão está chegando e a previsão do tempo é de dias nublados com pancadas de chuva e um ou outro dia de sol. Para o Climatempo, tempo firme de sol por período prolongado só em fevereiro. Engana-se, no entanto, quem acha que pode ir para a praia sem protetor solar em um dia nublado. 

"Os dias de céu encobertos são mais perigosos que os dias de sol forte", alerta a dermatologista Daniela Lemes Nunes, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. 

De acordo com ela, os raios ultravioleta conseguem atravessar as nuvens e atingir a pele. 

"A sensação de ardor e calor vêm dos raios infravermelhos do sol, que não atravessam as nuvens, portanto, em dias de tempo fechado eles não nos dão o alerta de que estamos sendo queimados, o que leva muitas pessoas a dispensarem o protetor solar", alerta a especialista que é diretora médica da Slim Clinique. “No dia seguinte, você perceberá as queimaduras e o pós-sol vai acalmar e restabelecer a barreira lipídica, impedindo a descamação e irritação cutânea a pele, mas não reverterá os danos causados pelo sol no DNA das células”, continua.

Os raios ultravioleta são os responsáveis pelo envelhecimento precoce da pele e também os causadores do câncer de pele, neoplasia mais comum no mundo. Segundo estimativas do INCA sobre o câncer para 2012 são esperados 65 casos novos de câncer de pele não melanoma a cada 100 mil homens e 71 para cada 100 mil mulheres. "No verão é quando os raios ultravioleta são mais incidentes devido à proximidade da Terra com o sol, portanto, o protetor solar deve ser aplicado diariamente e reaplicado, mesmo para quem apenas caminha de um ponto a outro na rua", diz.

O site do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) informa diariamente a incidência dos raios ultravioleta. Antes mesmo do início do verão, na segunda semana de dezembro, o mapa do Brasil já tem aparecido em sua maior parte com incidências altas e muito altas – a escala e composta por índice baixo, moderado, alto, muito alto e extremo.

Segundo a médica para retardar o envelhecimento e se ver longe do câncer, o cuidado deve começar desde cedo. "Todo o sol que tomamos até os 20 anos é o grande vilão da degradação de colágeno que começa a se iniciar aos 30 anos de idade. A exposição solar é cumulativa", explica.

Além do protetor solar, a médica recomenda protetores de barreira como bonés, chapéus e guarda-sóis. “Os homens não podem se esquecer de passar o protetor nas orelhas, nuca, nariz e boca que estão mais expostos”, ressalta a Daniela.

Conheça outros mitos do sol:

MITO. O protetor solar impede o bronzeamento.

É possível se bronzear com protetor solar. Ele é um aliado do bronzeado bonito, pois vai bloquear os raios ultravioleta, que liberam os radicais livres responsáveis pelo envelhecimento da pele.

MITO. Em dia de céu encoberto não preciso usar protetor.

É o dia em que você deve ter mais cuidado, principalmente no verão quando a incidência solar é mais forte. O que nos dá a sensação de calor são os raios infravermelhos do sol, que em dias de muitas nuvens no céu não chegam ao solo. No entanto, os raios ultravioleta conseguem atravessar as nuvens e queimar nossa pele sem nos dar a sensação no momento de ardor. Os raios ultravioleta são os responsáveis pelo envelhecimento precoce e pelo câncer de pele. 

VERDADE. Cremes bronzeadores podem manchar a pele.

Nas regiões em que a pele é mais áspera, o creme bronzeador vai absorver mais, então essa região ficará mais escura que o resto do corpo (joelho e cotovelos). Então, alguns dias antes de aplicar o creme bronzeador, faça uma esfoliação na pele para igualar o tom. Na hora da aplicação também use uma luva para não manchar as mãos.

VERDADE. Para garantir um bronzeado bonito, é bom esfoliar a pele uma semana antes de se expor ao sol.

A pele deve estar em tom uniforme para adquirir uma cor bonita sem manchas, para isso faça uma esfoliação corporal uma semana antes de se expor ao sol e capriche no hidratante diariamente. Para que a pele não descame, a hidratação é fundamental. Então no verão, tente aplicar o hidratante duas vezes ao dia. 

MITO. A maquiagem com proteção solar tem o mesmo efeito que o protetor.

Para que o filtro de uma base tenha esse efeito será preciso aplicar muita quantidade do produto, o que não dará uma boa base. O que existe no mercado são protetores solares com cor de base. Esse sim pode ser usado. Antes de se maquiar é recomendável usar o filtro solar na quantidade adequada, mesmo que a maquiagem tenha filtro. A proteção do filtro da maquiagem será complementar. 

MITO. Somente o filtro solar para cabelos protege os fios do sol.

O filtro solar foi desenvolvido para a pele. O FPS é aferido de acordo com o eritema causado pelo sol na pele. Mas no cabelo não há estudos que verifiquem qual é o FPS mais adequado para combater a exposição solar. Por isso, a recomendação é usar o filtro solar para cabelos mas também mantê-los cobertos com chapéus ou bonés. 

MITO. Se eu passar protetor antes de sair de casa, estou protegida o resto do dia.

É importante passar o protetor no mínimo 30 minutos antes da exposição solar para que o produto seja bem absorvido e reaplicar a cada 3 horas ou a cada vez que for à água. O suor e a água retiram o protetor.

MITO. A alimentação pode ajudar a aumentar as defesas da pele.

A única influencia na alimentação seria no bronzeamento. Alimentos com betacaroteno (as frutas e legumes de cor vermelha, laranja e amarela) ajudam na obtenção de um bronzeado mais bonito.

MITO. Usar muito protetor labial resseca os lábios. 

Não. Mas o ideal é optar por um protetor labial com hidratante.