Morte de 11 macacos causa alerta para febre amarela

A morte de 11 macacos em uma área de mata levou a prefeitura de Cuaibá (MT) a lançar um alerta para possibilidade de febre amarela urbana na cidade. A última registrada aconteceu em 1942. De acordo com a Secretaria de Saúde, que emitiu uma nota, "no período de 21 a 28 de outubro deste ano foram registradas 11 mortes de macacos, no bairro Jardim Aquárius, ao lado do Coophema, região sul de Cuiabá. O Ministério da Saúde considera que a partir de uma única morte de macacos, deve-se alertar para a possível ocorrência de casos de febre amarela humana."

Uma série de medidas para controle foi lançada pela secretaria, entre elas a pesquisa do mosquito vetor em todos os imóveis, residenciais ou não, na área onde houve a morte de macacos. "Todos os profissionais e estabelecimentos de saúde são obrigados a notificar imediatamente os casos suspeitos à autoridade sanitária local. Por se tratar de doença grave, cujas medidas de controle são urgentes, o mais importante é a vacinação das pessoas sem comprovação vacinal nos últimos dez anos", afirmou a nota.

A febre amarela é uma doença viral, infecciosa, febril e aguda, de curta duração (no máximo de 12 dias) e gravidade variável. Pode se apresentar desde uma infecção leve, até formas graves e fatais, com um período de incubação que varia de três a seis dias.