Na corrida para o verão, saiba que dietas não passam de falsas promessas

Com o verão batendo à porta, começa a corrida contra a balança. Na esperança de enxugar aqueles indesejados quilinhos a mais, a mulherada cai em cima das mais recentes  - e loucas – dietas que circulam nas revistas e na internet. Mas é preciso cuidado: especialistas alertam que a maioria destas fórmulas mágicas não passa de falsas promessas.

Para começar, uma má notícia: não há nenhuma fórmula milagrosa que funcione de um dia para o outro. Para emagrecer com saúde é preciso dedicação e disciplina, mas é possível fazer uma dieta que se encaixe melhor no paladar e na rotina de cada um.

Para a nutricionista funcional Luciana Harsenist, que tem uma clínica homônima no Rio de Janeiro, o primeiro passo que a pessoa que quer emagrecer deve tomar é procurar um especialista. “Não adianta procurar uma dieta na internet ou na revista, porque cada pessoa tem um estilo de vida e um organismo diferente. O especialista vai fazer um planejamento individualizado para o paciente”, afirma Harsenist, que oferece também um serviço de personal diet, orientando as clientes até no supermercado.

Ainda assim, a nutricionista dá algumas dicas, que conjugadas com uma boa dieta e exercícios físicos, dão um empurrão na hora de perder peso.  Entre elas, comer com intervalos regulares de três horas, ficar atento ao funcionamento do intestino e apostar nos alimentos antioxidantes. 

Mas também é importante colocar o corpo em movimento. De acordo com o personal trainer Rodrigo Almeida, além de proporcionar prazer – quando nos exercitamos, o corpo libera endorfina, hormônio que dá a sensação de bem-estar, euforia e relaxamento.

 “Não tem fórmula mágica. Quem quer emagrecer tem que ter disciplina para seguir a dieta e fazer exercício físico”, afirmou. “Para perder peso, o recomendável é que a pessoa faça exercícios aeróbicos, como caminhada, corrida, ou até musculação com séries de bastante repetição. Mas o ideal é que a pessoa procure fazer algo que dá prazer, para não acabar largando depois de um mês.”

Saiba quais dietas que não passam de mitos

Algumas dietas que circulam na internet e nas revistas prometem resultados impossíveis, quando não acabam prejudicando a saúde. De acordo com a nutricionista Sonja Salles, da clínica Nutrinew Consultoria, muitas dessas dietas surgem de crenças populares e não têm nenhuma base científica.

Entre elas, aparece a Dieta da Lua, que afirma que as mudanças de fase da lua influenciam nos líquidos do corpo e, por isso, nos dias de mudança, a pessoa deve ingerir somente líquidos de baixo teor calórico, durante 24h. Quem segue à risca perderia quatro quilos por mês, um por semana. “Isso é um mito enorme”, rebate a especialista. “A pessoa até pode emagrecer porque se alimenta de líquidos menos calóricos, mas isso não tem nada a ver com a lua”.

 Outro mito é a Dieta do Abacate, que promete deixar a barriga lisinha, caso a pessoa ingira, todas as noites, três colheres da fruta pura, que intensificaria a ação do hormônio GH, que ajudaria a usar a gordura estocada no abdômen como fonte de energia. “Para formar músculo é preciso ingerir alimentos protéicos, e mesmo assim, após exercícios físicos, não antes de dormir”, informa. “O abacate é um alimento muito bom, mas uma fonte de lipídios”

Outra dieta da qual é preciso fugir é a famosa Dieta de Atkins, médico americano que propõe apenas o consumo de carnes. Também conhecida como a dieta da proteína, a crença é de que o consumo desta classe de alimentos ajude a queimar a gordura que sobra no corpo. “Sou absolutamente contra”, posiciona-se Sonja. “Essa dieta faz com que, num futuro próximo, a pessoa acumule colesterol ruim e até desenvolva uma diabetes tipo 2. A pessoa emagrece e quando para a dieta, engorda tudo que perdeu e mais”.

O que fazer:

Comer de três em três horas: Este intervalo de alimentação ajuda o corpo a manter o metabolismo funcionando. Se você deixa um espaço muito longo entre uma refeição e outra, o corpo entende que precisa “economizar” energia, uma vez que “falta” comida. De acordo com a nutricionista funcional Luciana Harsenist,  uma dica é incluir no cardápio alimentos que aceleram o metabolismo, como a pimenta vermelha, gengibre, canela, chá verde (para quem não tem hipertensão).  “É importante lembrar que esses alimentos devem estar conjugados com uma alimentação balanceada e orientação de um especialista”, advertiu.

Intestino funcionando: “Quem tem o intestino preguiçoso tem também um metabolismo baixo”, explica a nutricionista.  “Alguns alimentos ajudam o intestino a trabalhar diariamente, eliminando toxinas que dificultam o emagrecimento e provocam inchaço, pioram a TPM e a celulite”. Quais são eles? Frutas, legumes, verduras, cereais e grãos, enumerou.

Água, antioxidantes e vitaminas: Quem quer emagrecer deve ficar atento aos alimentos com poder antioxidantes. Isso porque, além de dar um indesejado empurrão no envelhecimento precoce, o excesso de radicais livres é um dos principais inimigos da balança. Aposte em alimentos ricos em vitamina C, como acerola, brócolis, couve-flor, espinafre, laranja e tomate, e vitamina E, como os óleos de soja, arroz, algodão, milho e girassol, amêndoas, nozes e a castanha do Pará. Além disso, “pode abusar da água”, lembra a nutricionista.

O que cortar

Alimentos industrializados, fritura, refrigerantes (zero ou comum), alimentos com muitos condimentos e substâncias químicas, como o macarrão instantâneo e os sucos em pó. “Na dúvida, basta a pessoa ler os ingredientes do produto na embalagem. Se ela não entender nada, é porque é cheio de substâncias químicas”. Luciana acrescenta que também é fundamental cortar o consumo de bebidas alcoólicas.