Novo álbum de Lady Gaga para serviço em nuvem da Amazon

 

Que a Lady Gaga é um estrondoso sucesso, ninguém dúvida. O que ninguém esperava, e muito menos a Amazon, é que ela poderia se transformar em um grande problema para a computação em nuvem, a chamada Cloud Computing, conforme reporta o The New York Times. Isso tudo porque, na segunda-feira, a Amazon decidiu oferecer aos fãs de Gaga um dia de vendas da versão mp3 do álbum Born This Way por 0,99 centavos de dólares, valor bem abaixo do preço da iTunes Store, por exemplo: US$ 11.

A promoção era claramente uma forma da Amazon divulgar seu novo serviço, o Cloud Drive, que permite ao usuário armazenar seus arquivos de música em servidores remotos e transmití-los para seu computador ou smartphone pela internet. Entretanto, já no início da tarde de segunda-feira nos Estados Unidos, os servidores da Amazon praticamente pararam e muitos clientes não conseguiram baixar ou ouvir o novo álbum de Lady Gaga.

Diante das reclamações dos usuários no Twitter, a Amazon postou em sua conta no Twitter @amazonmp3 que eles "estavam experimentando atualmente um volume muito alto. Se você encomendar hoje, vai ter o álbum completo de @ladygaga por US$ 0,99. Obrigado pela sua paciência".

Conforme alerta o The New York Times, muitas empresas ligadas à indústria da música vêem os serviços em nuvem, estes que prometem que todas as suas músicas estarão disponíveis em todos os seus dispositivos a qualquer momento, a próxima fronteira. E para quem vai comercializar essa tecnologia, os serviços na nuvem se tornaram um campo de batalha. Além da Amazon, o Google já lançou um serviço próprio enquanto a Apple estaria perto de lançar o seu.

A Amazon oferece aos seus clientes 5 gigabytes de espaço livre, podendo ganhar mais 20 GB na compra de álbum pela Amazon MP3 Store. A Amazon lançou sua loja de MP3 em 2007, mas desde lá vem tendo dificuldades para competir com o iTunes, da Apple.