Pedro Lourenço leva iPads e pele de raposa à passarela

Linhas secas, tiras formando jogos gráficos, modelos com iPads na mão e pele de raposa de verdade. Dessa forma, o jovem estilista Pedro Lourenço apresentou nesta sexta-feira seu terceiro desfile na escola de Belas Artes em Paris, o segundo dentro do line-up oficial da Semana de Moda Francesa. Logo após a apresentação em Paris, ele disse que este foi um desfile mais maduro.

"Os dois primeiros foram mais conceituais, esse uniu a parte de conceito com o comercial", afirmou o garoto de 20 anos, filho de Gloria Coelho e Reinaldo Lourenço.

E é verdade. Não deixa de ser uma continuação das coleções anteriores, o que marca o estilo de Pedro. Mas as calças justas e os casacos e jaquetas também rentes ao corpo, alguns ganhando volume por conta das peles pretas e brancas verdadeiras, mostram que o DNA de Pedro estava lá, e com uma pegada muito usável, numa mistura agradável de suavidade e força.

Os jogos gráficos, em tiras horizontais, verticais e diagonais, aparecem também com a mistura de materiais opacos - como couro, lãs felpudas e tweed - e transparentes, como as organzas, seguindo a tendência de fazer da roupa um patchwork de tecidos e texturas. Preto, branco, nude, rosa-pálido e azul, com pinceladas de amarelo e roxo, formavam a cartela de cores.

O lado high tech ficou para os 17 iPads levados pelas modelos, em uma capa criada por Pedro, que fazia as vezes de carteira. Na tela imagens de tempestades, vulcões e erupções. A inspiração do brasileiro foi Marlene Dietrich, a escola alemã Bauhaus e o mundo animal. Maquiagem nude e cabelo preso atrás, com fios soltos. Tudo natural. E muito feminino.