Novo laser revela imagens inéditas de vírus

 

Um laser que libera pulsos intensos ultracurtos de raios-X é capaz de gerar imagens de vírus intactos, organismos unicelulares e bactérias, fornecendo a cientistas uma ferramenta revolucionária, destacou um artigo publicado na edição desta quarta-feira da revista científica Nature.

A técnica, que utiliza um chamado laser de elétron livre, na Universidade de Stanford, na Califórnia, foi testada no mimivírus, o maior vírus conhecido do mundo, que infecta amebas.

Segundo o artigo, a fotografia é o primeiro passo para estudar moléculas, vírus e micróbios vivos em nanoescala e em tempo real. Os métodos existentes para o uso de microscópios de elétrons exigem que os biólogos cortem ou congelem a amostra antes de fazer imagens dela.