Jovem Nerd leva público à loucura na Campus Party

No quinto dia consecutivo de palestras e oficinas na Campus Party, só uma atividade divertida poderia fazer os campuseiros vibrarem como se fosse o primeiro dia de evento. Os nerds assumidíssimos do site Jovem Nerd, Alottoni e Azaghal, subiram ao palco principal no início da tarde desta sexta-feira para falar do orgulho nerd. Com bom humor, ironia e dezenas de intervenções brincalhonas no meio de um assunto "sério", eles levaram o público à loucura.

Trata-se de um público fácil de agradar, quando se sabe como agradá-los. Alottoni e Azaghal deram início à palestra com a missão de testar o orgulho nerd dos campuseiros. "Vamos mostrar algumas imagens e queremos ver a reação de vocês. Queremos ver vocês pulando", gritou Alottoni. O resultado foi uma gritaria atrás da outra. "Why So Serious?", "Akira", "Senhor dos Anéis": todas as figuras no telão criaram uma reação entusiasmada da plateia, mas nada parecido com a reação a última imagem, do filme Star Wars.

Era tudo pensado. A dinâmica era um gancho para a sentença final dos palestrantes: "isso não é orgulho nerd, isso é orgulho", concluiu Alottoni. "Sabe o que é orgulho nerd? Vocês, que ficam 9h para entrar aqui, 1h30 na fila para almoçar, nas filas para entrar e sair, nas bancadas sem internet e sem luz", referindo-se às inúmeras quedas de sinal da rede e do "apagão" que afetou o Centro de Exposições por aproximadamente 1h no final da tarde de terça-feira.

Para exemplificar, os palestrantes convidaram para subir ao palco o escritor Eduardo Spohr, autor do livro geek A Batalha do Apocalipse e o empreendedor da startup especializada em publicidade para mídias sociais Boo-box, Marco Gomes, que, hoje, em Brasília, recebe investimentos da Intel. "Não quero ser brega, mas isso aqui me salvou. Como vários de vocês, eu vim de uma comunidade carente, perdi minha família e meus primos para o tráfico. Se foi possível para mim, é possível para todo mundo", falou Gomes.

A diferença entre orgulho de consumo nerd percorreu toda a palestra, sempre que possível, entre as dezenas de paradas no raciocínio que os palestrantes fazia para contar uma piada. "Não há nada de errado em consumir, não é isso", afirmou Alottoni. "A questão é que isso não é orgulho nerd, é mercado". Para eles, ser nerd não significa consumir produtos da indústria da cultura pop, mas, sim, pegar o conhecimento adquirido e contribuir para um mundo melhor. "Começamos há mais de cinco anos e, no começo, foi muito complicado. Estamos melhor hoje, mas o ¿perrengue¿ continua. Ninguém tá com a vida ganha", encerrou Alottoni, para o delírio dos campuseiros que enxergam nos palestrantes verdadeiros modelos de inspiração para a vida.

Campus Party Brasil 2011

Nascida na Europa, em 1997, a Campus Party é um dos maiores eventos de tecnologia, entretenimento e cultura digital do mundo que, em 2011, chega a sua quarta edição brasileira. Além do Brasil, são tradicionais os encontros realizados na Espanha, na Colômbia e no México. A Campus Party Brasil acontece de 17 a 23 de janeiro, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP).

Para este ano, são esperados mais de 6,8 mil participantes - ou campuseiros - sendo que dentre esses, mais de 4,5 mil ficam acampados no local. Além de atividades como oficinas e exposições, a Campus Party Brasil 2011 terá inúmeras palestras. Entre os confirmados, estão o ex-vice-presidente dos EUA, Al Gore, Tim Berners-Lee, pai da "WWW", e Jon Maddog Hall, presidente da Linux International, e muitos outros.