OMS afirma que epidemia de cólera no Haiti ainda não atingiu auge

GENEBRA - A epidemia de cólera no Haiti, que desde outubro de 2010 já provocou a morte de 3.651 pessoas, não chegou a seu ponto máximo, alertou nesta terça-feira em Genebra a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em relação ao cólera, que contaminou 171.304 pessoas desde outubro no país, "acreditamos que ainda não atingiu seu ápice", explicou Fadela Chaib, porta-voz da OMS.

"Haverá sem dúvida muitos mais casos de cólera no Haiti, isso é evidente", acrescentou, ponderando que "morrerão menos pessoas" graças aos esforços de contenção da epidemia.

Além disso, Chaib informou que a taxa de mortalidade diminuiu sensivelmente, a 2,2% - contra os 9% registrados no fim do ano passado.

A OMS considera que uma doença está sob controle quando sua taxa de mortalidade é inferior a 1%.