Feira dos EUA reúne tecnologias voltadas ao sexo e à pornografia

Enquanto a indústria do entretenimento para adultos luta para se adaptar à chamada "era da internet", os apreciadores de pornografia são tentados a experimentar o sexo cibernético e as relações virtuais. As novidades apresentadas na AVN Adult Entertainment Expo (AEE), feira de entretenimento adulto organizada pela revista Adult Video News, incluem vídeos enviados por wireless a televisões, intimidade por controle remoto e realidade aumentada - uma tecnologia que mescla imagens reais com inventadas.

O evento, que terminou no domingo, ecoou vários temas e tecnologias apresentadas não muito longe dali, em outro pavilhão de eventos de Las Vegas, na CES 2011. Dentre as novidades tecnológicas lançadas pelos produtores de pornografia, merecem destaque os aplicativos de enviar fotos e vídeos a telefones e tablets e os filmes em 3D.

"É absolutamente crucial estar em dia com o que há de mais recente. Se tu não te adaptas, fica para trás", disse Kim Kysar, do estúdio de filmes para adultos Pink Visual. Pink Visual, uma das empresas participantes da feira, levou para Las Vegas um programa de sexo virtual que mostra o usuário em uma cena quente com a estrela pornô Lexi Belle. "Achei formidável", disse Belle. "Se houvesse uma forma de ter sexo com todos..., mas como não há, faço virtualmente".

Para desfrutar da novidade da Pink Visual, o usuário só precisa de um computador conectado à internet e uma web cam, equipamentos que qualquer um tem em casa. A empresa apresentou ainda um aplicativo de iPhone que conecta os visitantes com as modelos em suas casas, ligadas ao site VSex.com. Por apenas sete dólares o minuto, o visitante pode comandar um pênis robotizado e ter relações íntimas com as modelos.

"É muito importante ser criativo com as tecnologias para a internet", disse a modelo do VSex Dani Jensen. "Todos tratam de se superar, de modo que neste jogo é necessário estar sempre um passo a frente".

Negócios e até games
Já a norte-americana Veebeam levou para a feira um equipamento que permitem enviar vídeos do computador para a televisão via wireless. "Existem muitos conteúdos convencionais e para adultos que são consumidos nos computadores pessoais e um grande desejo dos clientes de desfrutar dessa experiência na TV", disse Patrick Cosson da Veebeam. O equipamento que possibilita essa integração custa US$ 99, sendo US$ 139 a versão para filmes em alta definição. O objetivo da Veebeam é firmar parcerias com estúdios de vídeos pornográficos interessados em aproveitar as possibilidades que oferece a internet.

Também na AVN Adult Entertainment Expo foi lançado um equipamento de US$ 99 que permite que qualquer pessoa abra uma loja online de aplicativos e programas pornográficos para computadores, smartphones e produtos da Apple como o iPod Touch. "Muita gente gostaria de ser um magnata da pornografia. O que estamos oferecendo é um app store que vem em uma caixa", explicou Steve August da Sex App Shop. Quem decidir investir numa dessas lojas fica com mais da metade dos ganhos enquanto a Sex App Shop administra os aspectos técnicos e fica com o restante dos ganhos.

Os games também tiveram vez na feira de entretenimento adulto. um exemplo é o lançamento do "Bonecraft", um game de computador que faz uma paródia dos populares "Starcraft" e "World of Warcraft". O game começa com soldados espaciais bêbados caindo em um planeta com troll tipo "orcs" e mulheres Elvin.

"Os soldados precisam lutar contra os orcs para ficar com uma mulher Elvin", disse uma representante da 'Bonecraft' que se identificou apenas como Sarah. O objetivo do jogo é ter relações sexuais com as mulheres.

Steven Mulkhan, da produtora de filmes pornográficos Reel Interactive esteve na feira para promover a tecnologia 3D, que acredita ser a chave para a indústria pornográfica. "Qualquer jovem de 18 anos com uma câmera de alta definição pode fazer um filme de sexo", disse Mulkhan. "Os estúdios precisam fornecer mais interatividade e profundidade de conteúdo para sobreviver".