Rolls Royce poderá substituir "até 40" turbinas do Airbus A380: Qantas

 

A Rolls Royce substituirá até 40 turbinas de Airbus A380 pertencentes a três companhias aéreas, depois da explosão, em pleno voo, de um motor de um jato da australiana Qantas, informou a companhia.

Os problemas destes motores estão acarretando custos suplementares também para a Airbus, que pedirá ao fabricante britânico "compensações financeiras", disse um porta-voz do construtor aeronáutico europeu.

"Rolls vai revisar e pode substituir até 40 turbinas de toda a frota de aviões A380", informou à AFP um porta-voz da Qantas.

"Isto inclui os aviões da Singapore Airlines e da Lufthansa", revelou o porta-voz, acrescentando que a Qantas tem seis A380, cada um equipado com quatro motores.

O número de turbinas que teriam que ser substituídas pode até aumentar porque as inspeções ainda prosseguem nos aparelhos, disse o porta-voz.

"Por enquanto, mudamos três motores de aviões diferentes. Continuamos nosso programa de inspeção e ainda não estamos certos do número definitivo de motores que seria preciso mudar", acrescentou.

A Rolls Royce recusou-se, na quinta-feira, a comentar estas declarações da Qantas.

"O que dissemos na sexta-feira (passada) continua sendo válido", limitou-se a declarar à AFP um porta-voz, fazendo alusão ao último comunicado da Rolls Royce.

O grupo britânico afirmou, então, ter encontrado a origem da avaria, um "elemento específico" da turbina do motor que estava sendo substituído nos aviões da Airbus equipados com a Rolls Royce.

Um porta-voz da Airbus assegurou à AFP que atualmente "nossa produção está longe de ser normal", e a Airbus deve sofrer custos suplementares por causa do problema que afeta os motores de alguns dos A380. O porta-voz, no entanto, não foi capaz de fixar as quantias em jogo.

Interrogado em Londres, um porta-voz da Rolls Royce se negou a fazer comentários.

Qantas paralisou seus seis aviões Airbus A380 após o grave acidente, em 4 de novembro passado, quando uma turbina Rolls Royce explodiu em pleno voo e provocou um pouso de emergência em Cingapura.

Na sexta-feira passada, o grupo britânico Rolls-Royce informou ter diagnosticado a origem do problema, e que um componente defeituoso está sendo substituído nas turbinas Trent 900 que equipam os A380 das companhias Qantas, Singapore Airlines e Lufthansa.