SP: maioria do esgoto que chega a represas será tratado em 2014

 

      SÃO PAULO - Em 2014, a fase 3 do projeto de despoluição do rio Tietê, em São Paulo, será encerrada. O governo do Estado espera que, até lá, 70% do esgoto que chega às represas Billings e Guarapiranga, na parte sul da região metropolitana de São Paulo, será tratado. De acordo com a secretária estadual de Energia e Saneamento, Dilma Pena, o compromisso do governo é acabar com o esgoto nos rios da região em 2020. "Não estou falando que os rios vão estar limpos, mas que eles não vão receber mais esgotos", disse. As informações são do jornal Folha de S.Paulo.

Apesar de não haver dados concretos do impacto da poluição do sistema no aumento de custos para a Sabesp tratar as águas sujas das represas, existe um parâmetro que indica o estrago que o esgoto provoca no sistema Billings/Guarapiranga. Tratar a água na zona sul da cidade é aproximadamente três vezes mais caro do que fazer o mesmo processo com as águas do sistema Cantareira, que está menos poluído. "Mas a diferença no custo não é toda culpa da poluição. Existem outros fatores, como a eficiência do processo. Eles são feitos por sistemas construídos em épocas diferentes", afirma Hélio Castro, superintendente da Sabesp.