Petrobras participa da COP 10 com projetos de suporte à biodiversidade

Na mesma semana em que realizou, em parceria com o Jornal do Brasil e a Casa Brasil, o 5º Prêmio Brasil de Meio Ambiente no Ano Internacional da Biodiversidade, a Petrobras participa da COP 10 de Nagoya, de forma estratégica, integrando a Delegação Brasileira. A estatal vai antecipar questões críticas discutidas no cenário internacional e colaborar com a formação do posicionamento do governo brasileiro frente às questões de biodiversidade, especialmente naquelas críticas ao desenvolvimento de negócios na área de petróleo e gás.

Neste contexto, destacam-se os seguintes temas a serem abordados: uso sustentável da biodiversidade; áreas protegidas; biodiversidade costeira e marinha; biodiversidade em águas continentais; espécies exóticas invasoras; biodiversidade agrícola (bicombustíveis); e biodiversidade e mudanças climáticas.

A Petrobras aproveitará a oportunidade para realizar a divulgação internacional de iniciativas relevantes relacionadas à biodiversidade que a Companhia vem desenvolvendo, através da participação da Petrobras, tanto na organização quanto na discussão de práticas de gestão de biodiversidade.

Para a Petrobras, o compromisso com o desenvolvimento sustentável está expresso na sua estratégia de negócio. Esse compromisso inclui a atuação pela conservação e uso sustentável da biodiversidade, tanto na gestão ambiental de processos e produtos da Companhia, como no apoio a projetos em todo o país, por meio do Programa Petrobras Ambiental.

As ações estratégicas previstas pelo Programa de 2008 até 2012 incluem investimentos na ordem de R$ 500 milhões em patrocínios a projetos ambientais, por meio de processo de seleção pública de projetos; no fortalecimento das organizações ambientais e suas redes, a partir da criação de um espaço de aprendizagem e conhecimento que permita socializar os saberes; e na disseminação de informações para o desenvolvimento sustentável, promovendo ações de comunicação voltadas para a discussão do modelo de desenvolvimento sustentável. 

Como forma de democratizar o acesso aos recursos e garantir a transparência do processo de patrocínio, são realizadas seleções públicas nacionais a cada dois anos nas quais instituições de todo o país podem inscrever projetos que visam à proteção ambiental, a conservação da biodiversidade e à difusão da consciência ecológica.

A atuação da Petrobras com patrocínios a projetos voltados para biodiversidade marinha é marcante e importante para esse segmento do meio ambiente.

Reconhecidos nacionalmente como referenciais científicos, os projetos de biodiversidade marinha patrocinados pela Petrobras, entre eles projeto Tamar, Golfinho Rotador, Baleia Jubarte, contribuem para ampliar a projeção internacional das políticas brasileiras de conservação marinha e de uso e gestão não-letais de mamíferos aquáticos e quelônios.

A qualidade das ações pode ser medida pelos excelentes resultados conquistados que vão desde o aumento da população das espécies trabalhadas, gerando conhecimentos técnico-científicos essenciais à gestão das espécies e seu ambiente, as novas descobertas científicas, os impactos das informações educativas e de conscientização ambiental nas comunidades, as alternativas econômicas sustentáveis, a valorização sócio-cultural das espécies, até a associação da imagem da Petrobras à conservação da biodiversidade marinha.

Para potencializar e fortalecer as políticas de conservação marinha e a sustentabilidade dos projetos, foi elaborado, em 2007, o Planejamento Estratégico Integrado, resultado do empenho conjunto da Petrobras, do Ministério do Meio Ambiente, do Instituto Chico Mendes, e dos responsáveis técnicos de cada projeto, o Planejamento Estratégico, projetado por um período de cinco anos, a partir de cenários construídos para 10 anos, tem por objetivo otimizar os esforços institucionais e os investimentos financeiros, respeitando as particularidades de cada espécie e região, de forma a obter gestão de excelência em projetos de biodiversidade marinha.