Estudo mostra que casais mais novos prestam mais a atenção nos parceiros do que os mais velhos

Pesquisadores de universidades da Suíça, Alemanha e dos Estados Unidos publicaram, recentemente, um estudo, comprovando que casais em relacionamentos longos conhecem menos seus parceiros, do que aqueles casais que estão juntos a menos tempo. O motivo, de acordo com o levantamento, é que os casais que estão juntos a mais tempo pressupõem que já sabem o bastante sobre a outra pessoa.

O estudo analisou dois grupos de casais, um mais velho, entre 62 e 78 anos, e outro, entre 19 e 32. As perguntas foram feitas com base nos conhecimentos sobre as preferências dos parceiros. Os casais mais novos estavam juntos, em média, há dois anos e um mês, enquanto os de relacionamentos mais antigos, há 40 anos e 11 meses.

A pesquisa foi publicada na revista Journal of Consumer Psychology e apontou que, de um total de 118 itens diferentes relacionados aos três temas em uma escala de um (não gosta nada) a 4 (gosta muito) como "Qual a preferência por móveis de cozinha, filmes e comida", apenas 36,5% dos casais mais velhos acertaram as preferências dos parceiros, enquanto que, uma média de 42,2% dos mais jovens, acertou o gosto de seu companheiro.

Segundo os pesquisadores, o maior índice geral de acertos entre os temas foi nas perguntas relacionadas às preferências de comida. O pior índice foi a pergunta sobre a preferência de móveis de cozinha. "Uma das razões (para os resultados) pode ser que os casais mais velhos prestam menos atenção um ao outro, porque eles veem seus relacionamentos como já fortemente estabelecidos ou porque eles acham que já conhecem bem seu parceiro", afirmam os estudiosos no trabalho.

Segundo eles, outra questão importante é que entre os mais jovens os acertos foram maiores em relação aos itens classificados nos dois extremos da escala de 1 a 4 (não gostam nada ou gostam muito), mas entre os mais velhos não houve essa diferenciação. "Isso indica que os mais velhos não estão prestando atenção às preferências dos seus parceiros, incapazes de diferenciar entre seus sentimentos fortes e fracos", disse.

As pessoas com preferências mais semelhantes às de seus parceiros tiveram uma média de acertos maior, independentemente da idade e do tempo de relacionamento, indicando que casais formados por pessoas com gostos semelhantes se conhecem melhor.