"Viagra feminino" deixa de ser produzido por laboratório alemão

O "viagra feminino" que estava sendo produzido pelo laboratório alemão Boehringer Ingelheim deixou de ser concluído por não ter conseguido apoio das autoridades dos EUA sobre a capacidade que a pílula teria de estimular a libído das mulheres.

Segundo o laboratório, o medicamento seria direcionado às mulheres antes da menopausa que, inexplicavelmente, têm tido uma redução persistente do desejo sexual, conforme apontam estudos. A pílula seria uma resposta feminina ao Viagra, dos homens. 

De acordo com as autoridades americanas, a pílula, de cor rosa da Boehringer, tinha apresentado resultados insatisfatórios e gerado riscos inaceitáveis. Ainda de acordo com as autoridades, a libído feminina se mostra muito mais difícil de ser manipulada com medicamentos.

Durante sua criação, cerca de 15% do total das mulheres que participaram como "cobaias" apresentaram efeitos colaterais como depressão, desmaios e fadiga. Com isso, a Boehringer disse que tais efeitos teriam, também, motivado o interrompimento do projeto.