Campinas começa a implantar chip para identificar cães e gatos

O programa de identificação por microchip de 1,2 mil cães e gatos em Campinas, a aproximadamente 100 km de São Paulo, começou a ser implantado nesta quarta-feira, informou a prefeitura.

Os animais incluídos no programa de castração do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) de Campinas devem receber o chip, que deve ser aplicado sob a pele, na nuca do animal. O número fornecido pelo microship é repassado para o banco de dados da Associação Brasileira do Microchip Animal (Abrachip).

"Essa nova ferramenta, que não causa nenhum mal à saúde do animal, trará muitos benefícios à população proprietária de cães e gatos, às entidades protetoras de animais, aos centros de controle de zoonoses e à AutoBan. Trata-se de um programa que trará ótimos resultados na medida em que for ampliado para toda o município. É uma iniciativa que incentiva o exercício da cidadania", afirmou o secretário de Saúde de Campinas, José Francisco Kerr Saraiva.

Douglas Presotto, coordenador técnico do CCZ de Campinas disse que, após a implantação do projeto, as instituições públicas e privadas, como delegacias, Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Centros de Controle de Zoonoses, Petshops, Clínicas Veterinárias e ONGs de proteção animal deverão estar equipados com leitoras de microchips.