Campanha de Endometriose 2010 segue com atividades em setembro

 

 

Será realizada durante o mês de setembro a Campanha de Endometriose 2010 com o objetivo de esclarecer a população sobre esta doença. A Endometriose continua crescendo no Brasil, principalmente entre as mulheres mais jovens, devido a vários fatores, inclusive a ampla falta de informações. 

 

Pela gravidade que a doença pode representar países da Europa e os Estados Unidos já mantêm campanhas permanentes de esclarecimento e reciclagem para médicos, no intuito de possibilitar um diagnóstico precoce e deter o avanço do problema. No Brasil, a Endometriose tem sido diagnosticada com atraso de 7 a 10 anos, o que facilita o crescimento da doença e agravamento dos sintomas.  

 

Uma das principais conseqüências da Endometriose é a infertilidade. Cerca de 50% dos casos de infertilidade nas mulheres do mundo inteiro, são causados pela doença, que atinge 15% da população feminina entre 15 e 45 anos. O principal sintoma da doença é a dor, que se manifesta como cólica menstrual intensa, dor pélvica crônica, podendo ainda apresentar sangramentos na urina ou nas fezes e dor forte durante o ato sexual.  

 

A Endometriose é uma doença conhecida há muitos anos, mas a grande dificuldade sempre foi obter o seu diagnóstico correto. O uso de métodos diagnósticos como a ultra-sonografia, ressonância nuclear magnética e exames de sangue,  conseguem definir com alguma certeza a presença desta doença. No entanto, com a maior aplicação das cirurgias vídeo-laparoscópicas, pode ser visualizada a cavidade abdominal através de pequenos orifícios, com pequeno trauma para a paciente, o que motivou algumas mulheres com dor de longa data, a submeter-se a estes procedimentos. Observou-se então, que uma grande porcentagem de pacientes que apresentam estes sintomas, são portadoras da Endometriose. Para exemplificar, nas pacientes com queixas de dor pélvica, alguns estudos científicos já observam a presença da doença em 60 a 70% dos casos. 

 

A Endometriose ocorre quando o endométrio, que é um tecido que reveste internamente o útero, não é eliminado durante a menstruação, localizando-se em outros órgãos como as trompas, ovário, peritônio (membrana que reveste o abdome internamente), bexiga, intestinos, no fundo da vagina, etc. que são também estimulados pelos hormônios femininos, sofrendo pequenos sangramentos e causando intensa reação inflamatória no local, o que explica a dor de grande intensidade experimentada por essas mulheres. No Brasil, hoje, a Endometriose é um problema de saúde pública. E há uma necessidade premente de esclarecimentos sobre o problema, para que a população fique atenta aos sintomas. Na Campanha deste ano serão colocados out-doors e bus-doors na cidade do Rio de Janeiro e realizada palestra gratuita para o público leigo dia 25 de setembro, às 9:00 horas, no Hospital Pedro Ernesto.

Mais informações no site www.portaldaendometriose.com.br