Fãs da Apple enlouquecem com o lançamento mundial do novo iPhone

Paola Messana, Agência AFP

NOVA YORK - De Tóquio a Paris, de Londres a Nova York, os fãs da Apple responderam mais uma vez ao chamado de um novo produto, o iPhone 4, que fez nesta quinta-feira seu lançamento mundial em cinco países.

França, Alemanha, Grã-Bretanha, Japão e Estados Unidos foram os países eleitos para o lançamento mundial do novo telefone celular do gigante da informática. Três anos depois do primeiro lançamento, a Apple superou os 50 milhões de unidades vendidas em todo o mundo.

Devido ao fuso horário, os japoneses tiveram a honra de ser os primeiros a poder comprar o aparelho e centenas deles, alguns fantasiados de telefone, passaram a noite em vigília sob o úmido verão japonês.

Ryochi Hoshino foi o primeiro da fila de 500 pessoas que se formou na véspera em frente à loja da Apple no bairro Ginza, em Tóquio.

"Adoro o design. Estou 100% confiante", entusiasmou-se Hoshino, mostrando triunfalmente o objeto do desejo, a quarta geração em quatro anos do popular celular da empresa americana.

O iPhone 4 é equipado com uma tela de alta definição, função que permite as conversas telefônicas em vídeo, e um software de edição.

Em Nova York, Kunal Patel, de 19 anos, fazia fila desde as 21h00 com a esperança de ser o primeiro a lançar mão sobre o cobiçado aparelho.

"Espero comprar um e revender o velho", disse à AFP, enquanto aguardava entre centenas de outras pessoas a abertura da loja da Apple em frente ao Central Park, diante de dezenas de fotógrafos e cinegrafistas.

Na semana passada, o dispositivo de reservas do iPhone 4 nos Estados Unidos se saturou no primeiro dia que foi posto em serviço. O mesmo aconteceu no Japão com o serviço criado pelo operador que comercializa o telefone, o Softbank.

Em Paris, o empresário senegalês Bassirou Gueye estava entre as 350 pessoas que faziam fila antes das 08H00 locais (03h00 de Brasília) na porta da principal loja da Apple na capital francesa, situada no centro comercial que fica debaixo do museu do Louvre.

"Viajei especialmente a Paris para comprar o iPhone 4. Estou interessado em seus detalhes de alta tecnologia", disse Gueye, um autodeclarado fã da Apple que já possui meia dúzia de aparelhos da gigante americana da informática.

Em Londres, centenas de pessoas se concentraram na loja da Apple na Regent Street.

A mesma cena de filas de gente esperando na porta de uma loja da Apple se repetiu em várias cidades da Alemanha - Berlim, Munique, Franfkurt, Colônia e Hamburgo - , país onde a companhia Deutsche Telekom se queixou de não ter suficientes aparelhos para atender à demanda.

Segundo especialistas, este novo telefone não traz grandes mudanças tecnológicas, mas o efeito da moda sempre dá bons frutos.

Mas, apesar do fervor em torno do aparelho, a venda do último iPhone foi marcada por dificuldades.

A Apple anunciou na quarta-feira que, devido a problemas de produção, o modelo branco de seu novo telefone, também vendido na cor preta, não estaria disponível até o fim de julho.

Há dois meses a Apple teve que atrasar o lançamento internacional de seu tablet iPad por não poder responder à demanda nos Estados Unidos.

O novo trlefone estará disponível em outros 18 países em julho e em outros 24 em agosto.

A Apple vendeu mais de 50 milhões de aparelhos da família iPhone no mundo desde que lançou o primeiro modelo, em 2007.