Apple veta e depois libera aplicativo que mostra beijo gay

Portal Terra

NOVA YORK - A Apple censurou um aplicativo que mostrava um beijo gay no romance em quadrinhos de Tom Bouden. O livro é uma versão da publicação de Oscar Wilde - The Importance of Being Earnest.

De acordo com o site The Huffington Post, vários frames de animação dos quadrinhos figuravam dois homens nus se abraçando. Embora não houvesse nenhuma nudez frontal, o aplicativo foi rejeitado e, posteriormente aprovado, mas só depois que os quadros foram parcialmente cobertos por tarjas pretas.

A Apple Store reverteu sua decisão de censura na segunda-feira e permitiu aos desenvolvedores reenviar o quadrinho original - sem as tarjas pretas, informou o site TechCrunch. A Apple disse que a decisão de rejeitar os quadrinhos foi um 'erro'.

A editora Prism Comics, reclama que a Apple tem sido mais tolerante com conteúdo explícito quando se trata de editoras maiores, como a Marvel. Desenvolvedores de aplicativos fizeram denúncia semelhante no início deste ano. A App Store da Apple, sem aviso, removeu cerca de 5 mil aplicativos considerados "explícitos" mostrando mulheres em lingerie e biquínis, enquanto apps da Playboy e Sports Illustrated com garotas de maiô não foram incluídos nesta lista.

Em resposta às críticas sobre sua política "não-pornô", Steve Jobs teria dito que a Apple tem uma "responsabilidade moral" de manter os materiais considerados 'atrevidos' fora do iPhone, prometendo aos consumidores que estes estariam "livres da pornografia". "As pessoas que querem pornografia podem comprar um Android sic", disse Jobs em e-mail enviado a um cliente.