Cientistas que estudam a dor levam o Príncipe de Astúrias de Pesquisas

Agência AFP

MADRI - Os americanos David Julius e Linda Watkins e o israelense Baruch Minke ganharam nesta quarta-feira o Prêmio Príncipe de Astúrias de Pesquisa Científica e Técnica 2010 por seus estudos sobre a dor.

"Os três são cientistas reconhecidos mundialmente por seus estudos inovadores sobre a dor", indicou o juri, "e referências mundiais da neurobiologia sensorial e realizaram descobertas para uma compreensão mais profunda das bases celulares e moleculares das diferentes sensações, em especial da dor".

Os prêmios Príncipe de Astúrias levam o nome do príncipe Felipe, herdeiro da coroa da Espanha, que a cada ano premia oito pessoas ou instituições em oito âmbitos: artes, cooperação internacional, concórdia, ciências sociais, comunicação e humanidades, esportes, pesquisa científica e técnica e letras.