"Guru dos furacões" dos EUA prevê temporada de ciclones no Atlântico

Da Redação, JB Online

WASHINGTON - Conhecido como o "guru dos furacões" nos Estados Unidos, o meteorologista William Gray, junto com o meteorologista Philip Klotzbach, da Universidade de Colorado, afirmaram que um fraco fenômeno climático El Niño, combinado com um forte e "anormal" aquecimento no Atlãntico, serão fatores principais para a formação de ciclones e sua intensificação, no Atlântico.

Gray e Klotzbach disseram que a temporada será significativamente mais ativa que a registrada no ano passado, quando nove tempestades tropicais e três furacões se formaram, dos quais dois se transformaram em ciclones de categoria 3 e 4, as maiores na escala de intensidade Saffir-Simpson, de um máximo de 5.

O Centro Nacional de Furacões (NHC, na sigla em inglês), com sede em Miami, informou que a temporada de 2009 foi histórica, como a de menor formação de tempestades na bacia atlântica desde 1997.

Essa previsão inclui 45% de probabilidade de que um ciclone de grande intensidade chegue à terra ao longo da costa leste dos EUA, 44% para a costa do Golfo do México e 58% para o Caribe.